Publicidade
Entretenimento
AUDIOVISUAL

Depois de participar do filme 'Marighella', ator amazonense estreia como diretor

Adanilo Reis acaba de finalizar as gravações do curta-metragem "Decisões no frio ou A temperatura incerta" 19/11/2018 às 14:20
Show b0318 52f 8c90737d 4ec2 4525 9bce d39d1b85e85f
Divulgação
Rosiel Mendonça Manaus (AM)

“Decisões no frio ou A temperatura incerta” é o nome do curta-metragem que marca a estreia do ator amazonense Adanilo Reis como diretor audiovisual. Depois de atuar nos filmes “Marighella”, de Wagner Moura, e “Um Dia Qualquer”, de Pedro Von Kruger, com estreias previstas para o próximo ano, o artista acaba de encarar o desafio de estar por trás das câmeras e comandar um set de filmagens.

Morando atualmente no Rio de Janeiro, Adanilo iniciou a carreira ainda em Manaus como ator de teatro e dramaturgo. Por aqui, ele também integrou o elenco de alguns curtas-metragens da Artrupe Produções, como “O tempo passa” e “Aquela estrada”. “Vim morar no Rio, onde acabei tendo uma aproximação muito maior com a linguagem cinematográfica, que eu já tinha experimentado de maneira bem interessante nos filmes que fiz em Manaus”, conta.

O caminho até a direção de um filme próprio foi quase natural. Adanilo também assina o roteiro de “Decisões no frio”, que apresenta a rotina confusa de um grupo de amigos buscando soluções para problemas que eles podem resolver nas suas vidas e na Terra. Repensando os vínculos com a natureza e com os outros, as personagens passam por situações improváveis, beirando o absurdo e a irrealidade.

O filme foi rodado em Vargem Grande, bairro da Zona Oeste do Rio, lugar dividido entre a modernidade e a natureza. “É uma região muito bonita, repleta de belezas naturais, e sempre achei cinematograficamente interessante. A partir daí decidi criar essas personagens e a história da relação delas com esse espaço”, completa o diretor.

A produção é 100% independente, e Adanilo aproveita para elogiar a equipe que conseguiu reunir. “São artistas muitos talentosos e parceiros. O elenco colaborou muito para a construção do trabalho como um todo. Estavam todos na gana de ver o filme pronto. Como gravamos muito material de improviso, pode ser que renda até um média-metragem ou uma série”.

Expectativa

Sobre “Marighella”, o tão aguardado filme de Wagner Moura (que também é diretor estreante), Adanilo conta que a ansiedade está a mil. “Só recentemente eu conseguir aliviar a cabeça em relação a esse filme. Eu estava pensando nele todo dia. Foi uma produção que me deu a possibilidade de me afirmar como artista e pessoa, de entender que tipo de luta e mundo quero defender. Assisti a algumas cenas e posso dizer que está muito bonito, muito forte”, conclui.

Publicidade
Publicidade