Quinta-feira, 12 de Dezembro de 2019
MÚSICA

Destaque do Festival de Ópera do AM, cantor convidado tem timbre único no Brasil

Bruno de Sá se apresentará no Teatro Amazonas, em 'Tannhäuser' e 'O Triunfo da Voz ou A Extravagância da Arte'



BRUNO_S__PORTAL.jpg Sopranista foi bolsista pela Academia Canto em Trancoso (BA), onde recebeu oportunidade de intercâmbio na Alemanha
23/04/2017 às 05:00

A abertura do 20º Festival de Ópera do Amazonas (FAO) está marcada somente para o dia 7 de maio, mas uma das estrelas já está ansiosa. Apesar de ter se apresentado algumas vezes em Manaus, Bruno de Sá, 27, nunca cantou no evento. Ele é um dos bolsistas selecionados pela Academia Canto em Trancoso (BA), onde recebeu a oportunidade de fazer um intercâmbio na Alemanha em março deste ano. A voz dele é única no Brasil.

“Estou muito empolgado, pois será minha estréia e tenho certeza de que será um belo espetáculo, pois o elenco é de primeira”, diz, ao informar em quais deles estará presente no palco do Teatro Amazonas. “Eu participo da ópera Tannhäuser, no papel de um jovem pastor de ovelhas, e do concerto o Triunfo da Voz, com repertório barroco dedicado ao famoso cantor Castrato Farinelli”, completa.



Com timbre soprano, raro em homens, o músico natural de Santo André (SP) tem licenciatura em Música pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e bacharel em Canto Erudito pela Universidade de São Paulo (USP). Além da formação acadêmica, tem certificados de festivais nacionais e internacionais. Atualmente, dá aulas de canto, realiza concertos como solista convidado e é integrante da Academia de Ópera do Theatro São Pedro.

“A música está presente na minha vida desde antes de eu nascer. Meus pais cantavam no coro da igreja. Minha mãe ia grávida aos ensaios e, depois, comigo no carrinho de bebê. Então, minhas memórias mais antigas são deste ambiente. A primeira vez que solei foi aos dois anos de idade. Recordo-me até hoje desse dia. E meus pais sempre me incentivaram a tocar algum instrumento, como uma formação pessoal”, revela.

Talento raro

Aos seis anos de idade, Bruno de Sá ingressou nas aulas de piano. Aos dez, começou a estudar clarinete e, um ano depois, entrou para a orquestra da igreja. Ao mudar de cidade, voltou às teclas e conheceu a flauta transversal. Nesse período, decidiu se profissionalizar na arte e, após o término no Ensino Médio, prestou vestibular para Música. Já na universidade, descobriu-se mais produtivo como cantor.

“O canto era apenas hobby até eu descobrir a peculiaridade da minha voz: sou sopranista. Devido a fatores genéticos e hormonais, posso cantar com registro agudo, assemelhando às vozes femininas. É diferente dos contra-tenores, que são cantores masculinos que treinam para atingir determinadas alturas. A minha voz é natural, então, o timbre, a cor e a extensão são diferentes. Isso é muito raro”, enfatiza.

Sobre ser bolsista em duas edições da seletiva promovida pelas associações culturais Mozarteum Brasileiro e Música em Trancoso, em parceria com a alemã Chorakademie Lübeck, ou paulista se diz grato. Para ele, mais iniciativas semelhantes deveriam ser realizadas no Brasil, pois abrem portas aos jovens talentos.

“Após a viagem, fui chamado para concertos na Alemanha, audições em Paris e em Londres. Infelizmente, nosso país não valoriza muito a música erudita e, para um jovem cantor, tudo é mais difícil. Incentivo os jovens a tentar a Academia de Canto em Trancoso. Deu tudo tão certo e foi uma das experiências mais incríveis da minha vida”, ressalta.

'Triunfo da Voz'

“O Triunfo da Voz ou A Extravagância da Arte é uma ópera dedicada ao grande cantor Castrati. Antigamente, os meninos eram submetidos a uma cirurgia, aos dez anos de idade, para manter a voz infantil. Bruno de Sá é o único no Brasil que pode cantar soprano, que é um timbre feminino, com o poder da caixa torácica de um homem.”

Serviço

O quê: Tannhäuser, de Richard Wagner, no Festival Amazonas de Ópera

Quando: 14/5 (19h); 17/5 (20h) e 20/5 (19h)

O quê: O Triunfo da Voz ou A Extravagância da Arte no Festival Amazonas de Ópera

Quando: 19/5 (20h)

Onde: Teatro Amazonas, no Centro Histórico de Manaus

Ingressos: de R$ 5 a R$ 60 (inteira), na bilheteria ou pelo site

Música já estava no ‘sangue’

Como o colega de bolsa pela Academia Canto em Trancoso, Jean Carlos Gorges, 24, tem um timbre feminino, porém, é mezzo-soprano. Natural de Joinville (SC), ele é bacharel em Canto Lírico pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná, da Universidade Estadual do Paraná (Unespar), onde atualmente cursa piano. A música entrou na vida dele aos três anos de idade, sob influência dos tios, responsáveis por criá-lo desde a morte da mãe.

“Minha tia me colocava para cantar junto ao coro infantil na igreja, em cima do banco (risos). Na escola, tive contato com vários instrumentos e escolhi estudar piano. Minha família toda sempre foi muito musical. Meus tios/pais, tocavam instrumentos e sempre me influenciaram, ele com modas de viola e ela com as músicas sacras”, lembra. “O que aprendi em Trancoso e na graduação me trouxeram frutos que eu jamais pensaria em colher”, completa.

Com os primos/irmãos, o catarinense aprendeu a ser eclético, conhecendo de Celine Dion à Legião Urbana.  Ainda na infância, entrou para a Escola de Música Villa Lobos de Joinville (SC), onde estudou até os 17 e descobriu a vocação na arte do canto, pela qual se apaixonou “fortemente”. Ele nunca esteve em Manaus, mas gostaria de, um dia, se apresentar no Festival de Ópera do Amazonas.

“Tenho muita vontade, ainda mais, se puder cantar as árias dramáticas de Vivaldi, ou as de Handel. Eu gostaria muito de subir ao palco do Teatro Amazonas. Deve ser um sonho!”, declara. “Minha carreira musical é singela, porém, muito significativa para mim. Jamais imaginei integrar o Coro da Camerata Antiqua, como convidado, e ser do Coral Champagnat da PUC-PR nos meus devaneios”, confessa aos risos.

Bolsa para cantores

A terceira edição da Academia de Canto em Trancoso será de 2 a 8 de julho. Os interessados, com idades entre 17 e 28 anos, podem se inscrever de até 3 de maio. As aulas acontecerão no Teatro L'Occitane, na cidade baiana.  No total, 50 inscritos receberão bolsa completa, com transporte (aéreo e terrestre), hospedagem e alimentação. Inscrições e informações pelo site.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.