Publicidade
Entretenimento
EXPOSIÇÃO

Dia Nacional do Fusca reúne apaixonados e colecionadores no Largo, em Manaus

Evento ocorreu nesse domingo (20) e foi organizado pelo Fusca Clube Manaus. Amazonenses falam sobre a paixão pelos carros antigos 21/01/2019 às 09:31
Show fusca 00d6b5e3 a3db 4b05 b9eb 98341e899936
Foto: Yasmin Feitosa
Álik Menezes Manaus (AM)

O Dia Nacional do Fusca, comemorado no dia 20 de janeiro, reuniu apaixonados por carros antigos e colecionadores de carros clássicos e modificados no Largo São Sebastião, no Centro da capital amazonense, ontem. O evento, que ocorreu das 8h às 12h, foi organizado e realizado pelo Fusca Clube de Manaus e teve exposição de carros e sorteio de brindes.

O comerciante Fábio Albuquerque, de 54 anos, começou a colecionar carros clássicos há 33 anos. O primeiro foi um Fusca de 1974, que ele mantém todo original sem nenhuma modificação. “Sempre gostei carros antigos, mas há 33 anos a paixão começou crescer ainda mais. Fui comprando, reformando e guardando”, contou enquanto mostrava um dos carros que levou para a exposição.

E a paixão pelos carros só cresceu mesmo nos últimos anos. Hoje, o comerciante coleciona exatos 12 carros antigos. Entre eles, são três Fuscas, um Opala, um Fiat 147, um Volkswagen Variant e um Passat. “Eu não sei explicar, mas comecei a comprar, fazer a manutenção e hoje tenho todos. É um carinho que a gente não sabe explicar”, disse.

O colecionador afirmou ainda que o movimento tem crescido no Amazonas. Segundo ele, antes, muitas pessoas guardavam os carros antigos nas garagens porque está com algum defeito ou precisando de algum tipo de manutenção ou simplesmente porque os donos não conheciam oficinas especializadas e não sabiam, às vezes, onde comprar peças originais.

“Hoje a gente está divulgando muito forte nossas ações para chamar a atenção e convidar pessoas que curtem carros antigos para estarem com a gente. Nas quintas-feiras, por exemplos, a gente reúne a galera e faz roles pela cidade, faz participação para ajudar eventos filantrópicos. Nosso objetivo é fazer a diferença na sociedade não só como colecionadores, mas contribuir de alguma forma com a sociedade e com a história”, disse.

Crianças e adolescentes também visitaram a exposição admirados com as relíquias e o carinho que os donos tratam os carros clássicos. “Eu também vou ser colecionador de carro antigo”, disse, empolgado, o pequeno Lucas Pinheiro, de 10 anos, que estava acompanhado do pai, mãe, avô e de três irmãos. Nem o Sol forte afastou os visitantes.

Amor que vem da juventude

Há 19 anos, o funcionário público Mitoy Pimenta, de 36 anos, se apaixonou por um Fusca. O jovem tinha apenas 17 anos e cursava o Ensino Médio quando viu um Fusca, ano 74, do pai de um amigo. “O pai desse meu amigo de infância deu o carro para ele. Aí, pelo convívio com ele, fui gostando mais ainda de Fuscas. Nesse mesmo período comprei o meu primeiro, do meu ex-sogro”, lembrou.

O primeiro carro foi vendido. Hoje, o funcionário público possui um Fusca de cor marrom, do ano de 1974, que trata como um filho. “A gente cria um carinho grande, sabe? Se preocupa em manter a manutenção em dia e tudo mais”, contou Pimenta, que publica quase diariamente fotos e vídeos do carro nas redes sociais falando do carinho ou fazendo alguma manutenção.

Publicidade
Publicidade