Quinta-feira, 26 de Novembro de 2020
MÚSICA

Disco 'Conexão Rio-Mao' marca encontro inédito entre sambistas e desembargador

Pré-lançamento do álbum será realizado em Manaus, neste sábado (22), e posteriormente no Rio de Janeiro



1492729636101561.JPG
21/04/2017 às 17:27

Quem já conhece o desembargador Flávio Pascarelli por seu trabalho na magistratura, neste sábado também descobrirá outra faceta do atual presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas – a de poeta e compositor de sambas. 

Recentemente, os sambistas Paulo Onça e Marquinho Lessa musicaram uma leva de dez poemas escritos por ele, e o resultado será conhecido neste sábado, a partir das 20h, com o pré-lançamento do disco “Conexão Rio-Mao”, no Village Festas. O evento contará com show de Paulo e Marquinho, além da participação do grupo Fino do Samba e das cantoras Juliana Pagung  e Simone Ávila.



“Eu não sou sambista. Gosto de samba como gosto de rock, de música em geral”, explica o desembargador. “O Paulo Onça estava no Rio e me ligou dizendo que estava fazendo uns sambas, então ele perguntou se eu não tinha alguma coisa para mostrar. Eu disse que não compunha, mas tinha alguns poemas e mandei para ele ver se dava samba”.

Pascarelli conta que enviou uma primeira sugestão para o colega logo no início da manhã, e antes do fim da noite ele recebeu de volta a música pronta. A parceria engrenou e, no fim das contas, eles tinham material para encher um álbum. Quem se somou ao trabalho foi o compositor carioca Marquinho Lessa, que tem passagens pelas escolas Imperatriz Leopoldinense e Caprichosos de Pilares.

“Algumas letras foram alteradas para pegar a linguagem do samba, porque o poema é muito metafórico. O Paulo e o Marquinho fizeram as melodias e as músicas, mas algumas faixas têm a contribuição deles também na letra. Gostei do resultado”, completa Pascarrelli.

Registro

Gravado no mês de março nos Estúdios do Cesinha, no Rio de Janeiro, o disco “Conexão Rio-Mao” traz os músicos Guilherme Lara, Caio Calado, Márcio Vinhas e Chiclete, além da participação especial de Juliana Pagung. 

Por telefone, a reportagem falou com Paulo Onça no momento em que ele estava se preparando para embarcar para Manaus. Segundo ele, a proposta é lançar o disco também no Rio. “Conheço o Flávio há 40 anos, os poemas dele são muito bons e retos. Botamos na linguagem do samba e num arranjo de raiz. É uma proposta nova, do Judiciário com a cultura”, brincou o sambista.

Afinidades

O desembargador conta que nunca escreveu pensando que seus poemas um dia pudessem virar música. “Escrevi pensando em conquistar”, diz ele – e isso aparece nas letras de “Conexão Rio-Mao”, que falam de amores e paixões. “São sentimentos que fui colocando no papel, isso me relaxa, porque lido com termos técnicos o dia inteiro”.

Sobre o contraste entre os ritos do cargo no TJAM e a nova experiência como compositor de samba, Pascarelli diz que as duas coisas não se confundem. “São exercícios diferentes, apesar de algumas pessoas acharem que quem está na presidência do Tribunal não pode se envolver com essas coisas. Mas nunca mantive distância do que gosto. Fui para Barcelos como juiz aos 25 anos de idade e fundei um futebol de salão lá. Disputei o intermunicipal e até ganhamos do Rio Negro. Só não vou cantar no lançamento de sábado porque não quero cometer esse pecado”, brinca.

Serviço

o quê: Pré-lançamento do CD “Conexão Rio-Mao”
quando: Sábado, dia 22, às 20h
onde: Village Festas (avenida Efigênio Salles, Parque 10)
quanto: Entrada franca


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.