Publicidade
Entretenimento
Buzz

Discussão com mulher, pressão dos fãs e problemas financeiros assolaram Champignon antes da morte

A polícia de São Paulo descreveu como o músico morreu em seu apartamento na manhã desta segunda-feira (9). Champignon teria se suicidado com um tiro na cabeça 09/09/2013 às 21:44
Show 1
Champignon teria morrido após atirar na própria cabeça
ACRITICA.COM ---

Antes de morrer na manhã desta segunda-feira (9), o músico Champignon – ex-baixista da Charlie Brown Jr. e que estava como vocalista d´A Banca – deu um tiro no chão para testar se a sua arma, uma pistola 380, estava funcionando. Logo depois, ele atirou na própria cabeça e morreu. As informações são da delegada do 89º Distrito Policial de São Paulo Milena Suegama, DP que investiga a morte músico.

De acordo com o site d´O Globo, a delegada revelou também que a esposa do artista Cláudia Campos teve uma discussão com ele durante o jantar em um restaurante na capital paulista, na mesma noite do incidente.

A conversa entre a delegada e a esposa de Champignon, grávida de cinco meses, ocorreu antes dela ser levada para um hospital da cidade, de onde só saiu por volta das 7h desta segunda (9). “Ela não está em condições de falar, mas disse que eles tiveram uma discussão no restaurante. Ela o descreveu como uma pessoa calma”, afirmou a Milena.

Depressão?

Péricles Carpigiani, que tocou junto com Champignon na banda Nove Mil Anjos de 2008 a 2010, revelou em entrevista recente que o músico tinha reclamado de uma montagem postada na sua página do Facebook, na qual ele aparecia com a palavra “Judas” no peito. A conversa por telefone entre os dois aconteceu um dia antes de Champignon ser encontrado morto.

"Para quem foi criado e construiu seus valores dentro de uma cultura de rua, ser acusado de ‘trairagem’, que era a palavra que ele usava, era a mais dolorosa das ofensas”, conta Péricles, em entrevista publicada no site do jornal O Globo. “Uma minoria o perturbava, dizendo que ele não havia respeitado a morte do Chorão, que ele não teria vivido o luto pela morte do líder do grupo. Esse tipo de provocação o abalava muito, e ele estava tentando lidar com isso e com a própria condição de líder de um grupo, algo que ele não estava habituado", acrescentou.

Ainda de acordo com a reportagem, relatos de amigos e companheiros profissionais confirmam que Champignon vinha sofrendo há alguns meses com uma parcela de fãs de seu ex-grupo, que insistiam em interpretar negativamente a sua decisão de montar o grupo A Banca, na qual ele cantava as músicas imortalizadas na voz de Chorão, morto em março deste ano. Ele também estaria passando por dificuldades financeiras.

Publicidade
Publicidade