Quarta-feira, 26 de Junho de 2019
Vida

Documentário de cineasta amazonense vence festival de filmes na Espanha

Evento dedicado à produção do cinema documental, DocumentaMadrid incluiu curta “El Enemigo” entre premiados 



1.jpg Aldemar Matias recebeu o prêmio de máximo reconhecimento do júri
12/05/2015 às 11:06

Rodado no primeiro semestre de 2014, o documentário amazonense “El Enemigo” se consagrou na premiação máxima da categoria de curtas-metragens do festival DocumentaMadrid, que aconteceu do dia 30 de abril e foi até 10 de maio, na Espanha. Este foi o último trabalho do cineasta amazonense Aldemar Matias antes de seu retorno ao Brasil. O documentário tem a duração de 26 minutos.

A produção não tem mensagem ou lição de moral, conforme aponta o diretor da obra - que aborda o diálogo entre o saneamento básico e o governo cubano. “Fujo do cinema-propaganda, ou cinema-ideologia... esse cinema que pensa pelo espectador. ‘El Enemigo’ é um discurso sobre os limites entre o público e o privado, sobre as estruturas de poder, com personagens que dividem opiniões do público, pois são agressivos e ao mesmo tempo, preocupados com a saúde da população”, comenta.

Para Aldemar, vencer com a obra se distribuiu em uma emoção que cumpriu certas etapas. “Um dia antes da cerimônia de encerramento, a organização já havia avisado que o filme tinha recebido um prêmio, para confirmar minha participação no evento. Umas três horas antes da entrega de troféus, os ganhadores foram publicados na web do festival. Daí eu comecei a receber mensagens de amigos avisando que o filme tinha ganhado o prêmio máximo do júri. Eu não entendia nada! Foi meio confuso”, celebra Matias.

“El Enemigo” competiu com outros 18 filmes de vários lugares, entre eles Holanda, França, Estados Unidos, Suécia, Polônia e Canadá. O cineasta comenta que a maior dificuldade enfrentada durante o processo foi bem no início, na fase de pesquisa. “É muito difícil obter autorização para pesquisar ou filmar qualquer obra relacionada a saúde ou educação em Cuba. São os dois pilares do país e eles tentam protegê-los de ‘cineastas de má fé’, uma vez que o país já é bem massacrado pela imprensa internacional”, revela.

Fruto

Este é apenas o segundo festival que o filme participa, conta Aldemar. “Um prêmio do júri num evento desse porte ajuda muito na trajetória do curta. Abre portas para futuros festivais e, claro, abre portas pra futuros projetos meus também. Devo começar em julho a pesquisa para outro filme, mas ainda não há projeto definido”, diz o ator, cuja base territorial é Manaus, mas que alega não estar morando em nenhum lugar atualmente. “Vai depender do próximo projeto. Em julho, volto pro Brasil”, adianta.

Aos aspirantes a cineastas de Manaus, Matias aconselha que assistam a muitos filmes, de países diferentes e estilos diferentes. “Que mergulhe em referências, mas que busque seu próprio discurso. Diria que os bons resultados vêm de trabalho, disciplina e contribuição em equipe. Não acredito muito na inspiração que chega do nada. A inspiração vem se a cabeça está entregue a um método de criação diária, mesmo que alguns dias sejam mais produtivos que outros. Isso eu falo pra mim mesmo também”, declara.

Ficha
Diretor: Aldemar Matias
Roteiro: Alberto Santana, Aldemar Matías
Fotografia: Tininiska Simpson
Edição: Emmanuel Peña
Som: Matheus Massa
Produção: EICTV
Produtores: Denisse Casado

Perfil: Aldemar Matias
Nascido em 1985, Aldemar Matias é graduado pela Escola Internacional de Cinema e TV de Cuba (EICTV). Também estudou Documentary Filmmaking com Claire Simon e Patricio Guzmán, em Barcelona. "Parente", seu curta-metragem sobre o teste de HIV nas comunidades indígenas na Amazônia, foi financiado pela Fundação Bill & Melinda Gates, além de ter sido premiado com três prêmios internacionais.


Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.