Segunda-feira, 22 de Abril de 2019
publicidade
1.jpg
publicidade
publicidade

Vida

Documentário sobre Margareth Mee tem pré-estreia nesta quinta (25) em Manaus

Através de seus diários, depoimentos e narração, o filme mostra o amor de Margaret pela natureza e sua militância ecológica e como, com sua arte, alertou para a necessidade de preservação do meio-ambiente e da flora brasileira


24/04/2013 às 15:01

O documentário sobre a vida e obra da pioneira e visionária ilustradora botânica inglesa Margaret Mee, uma das mais importantes artistas do século XX,  tem pré-estreia nesta quinta-feira, 25 de abril, às 21h40, no Cinemais Millenium em Manaus. Intitulado “Margaret Mee e a Flor da Lua” é dirigido pela cineasta  Malu de Martino.

Através de seus diários, depoimentos e narração, o filme mostra o amor de Margaret pela natureza e sua militância ecológica e como, com sua arte, alertou para a necessidade de preservação do meio-ambiente e da flora brasileira.

Sobrevivente de uma Europa abalada por duas grandes guerras, a inglesa Margaret Mee (Buckinghamshire, 1909/1988) desembarcou no Brasil em 1952, em São Paulo, mudança que representou um marco divisório em sua vida. À frente do seu tempo, foi uma militante engajada, a última representante de uma série histórica de exploradores do século XX que, vindos da Europa e movidos pelo fascínio, desbravaram e revelaram a grandeza e a diversidade da natureza e do povo brasileiro.

Encantada por uma natureza exuberante e exótica, Margaret Mee logo passa da observação para uma minuciosa representação da flora local, através da técnica de Ilustração Botânica. A artista inicialmente começou a pintar as plantas que encontrava em suas caminhadas por São Paulo, inaugurando um estilo original que se consagraria com o tempo, com dupla referência: científica e sensível, hoje de reconhecido valor no mercado de artes mundial.

Com seu espírito aventureiro e desbravador, fez ao todo 15 viagens à Amazônia, realizadas entre os anos de 1956 e 1988, região que conheceu nas mais diversas condições. Com uma aparência frágil, porém obstinada, enfrentou na floresta doenças, falta de alimentos, abandono numa aldeia indígena e ainda ataques de insetos. Em contrapartida, encontrou e pesquisou a flora brasileira, num dos mais belos e variados ecossistemas do planeta.

Arte

Reconhecida pelo apuro e delicadeza de suas pinceladas, a ilustradora reproduziu com precisão em lápis e aquarela sobre papel as espécies estudadas e anotadas em seus cadernos de viagem. Sua obsessão era descobrir, registrar minuciosamente as flores de proporções e originalidade inéditas, em cores vivas e intensas.

Margaret Mee morreu no interior da Inglaterra, num acidente de carro, em 1988, aos 79 anos de idade.

A diretora

Malu de Martino formou-se em 1979, em Comunicação Social, pela Faculdade Hélio Alonso.  Entre 1983 e 1984, estudou na Global Village, New School/NY (Advanced Intensive Video), na Downtown Community Television Center/NY (Editing), na Young Filmakers, Video Arts/NY (Lighting for Film and Video) e na New School TV Academy /NY (Videotape Post-Production). Malu dirigiu os longas de ficção “Como Esquecer” (2010), baseado no romance “Como Esquecer - Anotações Quase Inglesas”, de Myriam Campello; e “Mulheres do Brasil” (2006), inspirado em cinco histórias de escritoras brasileiras, passadas em cinco cidades de diferentes regiões do Brasil. O documentário “Margaret Mee e a Flor da Lua” é seu mais recente filme (2012).

Serviço

o que: Pré-Estreia  do filme Margaret Mee e a Flor da Lua
quando: 25/04 (quinta-feira) Horário: 21:40h
onde: Cinemais Millenium Manaus

publicidade
publicidade
Contratos de patrocínio da Petrobras passam por revisão, diz Bolsonaro
Diretores de 'Vingadores: Ultimato' pedem que fãs não revelem final da saga
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.