Publicidade
Entretenimento
Vida

Doenças bucais: cães e gatos também precisam de cuidados

Escovar os dentes dos pets todos os dias é a maior recomendação dos veterinários. 85%dos cães e gatos têm problemas nos dentes 04/12/2015 às 15:09
Show 1
Para facilitar a aceitação pelos cães, existem cremes dentais com sabores de carne, frango e outros
Laynna Feitoza Manaus, AM

Eles correm, fazem a mais amável das bagunças e gastam os dentinhos e a saliva onde é possível. Sim, estamos falando dos cães e gatos. Contudo, toda a atenção voltada aos banhinhos para que fiquem cheirosos deve ser dada também à higiene bucal deles. Até porque devido à ausência dessa higiene, eles são capazes de desenvolver doenças bastante comuns a nós, humanos: gengivite e periodontite são algumas delas.

De acordo com o veterinário Silas Alencar, da Maskote Pet Shop, as principais doenças da boca relacionadas aos pequenos animais são as doenças periodontais, que resultam de processos inflamatórios à frente de placas bacterianas. “Elas são desenvolvidas por uma microbiota oral, e cães e gatos não têm uma imunidade tão eficaz para combater as bactérias causadoras dessas enfermidades”, diz ele.

Uma grande invasão bacteriana ao tecido da boca causa gengivite, que é um processo inflamatório correspondente a um estágio inicial. “A gengivite é o acúmulo de placa bacteriana sobre a superfície dos dentes. Se não tratada pode evoluir para periodontite. Isso só é resultado de evasões bacterianas localizada na parte do dente e das gengivas”, completa.

Ainda segundo o veterinário, as complicações se devem à não-higienização da boca dos pets. “Tudo é resultado dos resíduos alimentares que, uma vez não removidos, causarão esse acúmulo que pode gerar a gengivite. Outro grande problema são os tártaros nos dentes, que surgem pela alimentação errônea e adição de doces na alimentação”, diz ele, lembrando que a escovação dos dentes dos pets precisa ser diária. “Todo dia, após a alimentação. Há a escova e pasta próprias. Não pode ser com a pasta humana, porque causa gastrite no animal”, aponta.

Evolução

Os tártaros, chamados “cálculos dentários” também podem levar à doença periodontal, que afeta a área dos entornos dos dentes, segundo o veterinário Franklyn Oliveira, da Pet Stop Animal Care. “Esta doença se inicia com o acúmulo de placas bacterianas que irritam a gengiva, levando à gengivite. Como não se tem o hábito de escovar os dentes dos pets, essa placa vai se acumulando e calcificando, formando o cálculo dentário ou o popular tártaro”, assegura.

Com a calcificação desta placa, ocorre maior aderência de bactérias, afetando o osso alveolar. Com isso, a sustentação dos dentes do animal pode ficar comprometida, levando a dor ao mastigar e até mesmo a perda dos dentes do pet. “Além do mais, o local da lesão será uma fonte de disseminação de micróbios para o organismo, podendo atingir órgãos vitais como coração, fígado e rins”, coloca Franklyn.

Infelizmente não existe cura para a doença periodontal, mas esta pode ser controlada, segundo Oliveira. “O primeiro passo após a instalação da doença é o tratamento periodontal, que é diferente de uma simples limpeza de tártaro. Qual é a diferença? A limpeza de tártaro é feita com o animal acordado ou sedado, é muito mais rápida, mas é insuficiente. O principal problema na doença periodontal é a parte do dente que fica ‘escondida’ pela gengiva, local que só se consegue acessar com o animal sob efeito de anestesia geral”, afirma ele.

Os cães e gatos também tem o hábito natural de lamber seus “humanos” como forma de demonstrar carinho e afetividade, segundo Franklyn. “E este ato pode transferir bactérias à pele, possibilitando o aparecimento de doenças, por isso é tão importantes a escovação diária exclusivamente com produtos veterinários, já que os de uso humano podem fazer mal aos animais”, ressalta ele.

Do pet para o humano

Franklyn lembra ainda que há possibilidade de transmissão de bactérias da boca do cão para a superfície sobre onde acontecer o contato, inclusive para a pele humana. “Sugere-se que não seja aceito que cães e gatos lambam ou ‘brinquem’ de morder seus donos, a fim de evitar a transmissão de doenças. Principalmente em crianças, idosos e pessoas imunodeprimidas. Caso aconteça de um animal que tenha cálculo dentário lamber uma pessoa, sugere-se que faça uma limpeza com água e sabão no local onde foi feita a lambedura”, encerra.

Acúmulo de placa

A vira-lata Garibalda foi resgatada pela empresária Amanda Ribeiro com gengivite e periodontite. Ela apresentava sagramento gengival, e mobilidade dental devido à perda óssea. “E por ela sentir dor deixava de comer, sentia fome, mas associava à dor”. O veterinário diagnosticou e disse que a causa foi o acúmulo de placa bacteriana associada à deficiência nutricional. O tratamento periodontal foi realizado e hoje a doença está controlada. “Faço o controle principalmente com a escovação diária para não acumular a placa”.

Números

85%dos cães e gatos têm problemas nos dentes: Fonte: *WATSON, A. D. J. Diet and periodontal disease in dogs and cats. Australian Veterinary Journal, v. 71, p. 313-318, 2006.

Destaque

Os sintomas da doença periodontal são o mau hálito; inflamação ou sangramento da gengiva; dor ao abrir ou manipular a boca; salivação excessiva, espessa e com odor fétido; dificuldade para se alimentar, e perda de apetite e peso.

Publicidade
Publicidade