Transição de formato

Peças do Grupo Jurubebas de Teatro viram curtas-metragens

Spin-offs das obras teatrais 'E Nós Que Amávamos Tanto A Revolução' e 'Menino TK' estão disponíveis no canal do grupo no Youtube

Portal A Crítica
06/01/2022 às 23:51.
Atualizado em 08/03/2022 às 18:12

((Fotos: Raiana Prestes/Divulgação))

O Grupo Jurubebas de Teatro preparou seus primeiros experimentos no audiovisual com as filmagens de “Revolução”, spin-off do espetáculo “E Nós Que Amávamos Tanto A Revolução”, realizado em 2020. Foram percorridas seis cidades do Amazonas, onde os registros foram feitos, dando origem a seis vídeos, que estão disponíveis no canal do Grupo Jurubebas no Youtube.

Os curtas são em formato experimental, inspirados no cinema modernista, e partem da narrativa de dois primos que procuram por imagens do avô e acabam descobrindo sua intensa relação com a ditadura militar. O projeto foi contemplado pelo Prêmio Encontro das Artes/Lei Aldir Blanc, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Amazonas.

Outra circulação também marcou o primeiro semestre do Grupo Jurubebas: a do espetáculo “Menino TK Interestelar”, projeto contemplado pelo Prêmio Feliciano Lana/Lei Aldir Blanc, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Amazonas. A peça infantil realizou apresentações nas cidades de Manaus, Novo Airão, Manacapuru, Iranduba e Rio Preto da Eva, e conta a história de um pássaro que nasceu com uma deficiência, o impedindo de voar.

A vida do passarinho interplanetário se passa na Via Láctea, onde ele conhece uma astronauta e outros pássaros da sua espécie. Visando o processo de inclusão, o grupo realizou uma versão experimental audiovisual, que conta com legenda em língua portuguesa e está disponível no canal do mesmo grupo no Youtube.

Revolução

As cidades de Manaus, Iranduba, Manacapuru, Novo Airão, Rio Preto da Eva e Itapiranga foram as locações para a realização do material de “Revolução”. As filmagens ocorreram nos meses de maio, julho e outubro. Ao todo, cerca de 20 profissionais atuaram no processo, desde atores e atrizes, a profissionais das câmeras, fotografia e edição.

“Buscamos integrar jovens produtores, trazendo esse primeiro contato com o audiovisual também. Cada cidade nos recebeu de braços abertos, seguindo sempre os protocolos de segurança em saúde. Os produtores locais foram de fundamental importância para a realização desta empreitada, e entre muitas dificuldades prevaleceu a vontade de aprender em cada etapa deste processo”, afirma Felipe Maya Jatobá, diretor do Grupo.

“Revolução” tem no elenco Raiana Prestes, Jorge Ribeiro e Nícolas Queiroz, que divide também a produção geral com Herberth Virgínio. Os próximos passos do projeto são a realização de um corte de filme que contemple as seis cidades, a ser lançado em comemoração aos cinco anos de atuação do grupo em Manaus. A classificação indicativa é para maiores de 16 anos.

Menino TK

Já o processo criativo de “Menino TK” contou com a presença de crianças com TEA (transtorno do espectro autista) na capital, que acompanharam os ensaios de forma remota e contribuíram para cenas específicas do espetáculo gravado.

As gravações de ‘Menino TK’ ocorreram no primeiro semestre e foram finalizadas em novembro, e, seguindo as recomendações da OMS, ocorreram sem a presença de público, em locais abertos e com EPI’s na equipe de produção. A obra tem classificação livre e tem no elenco Jorge Ribeiro, Nathalie Rothem e Giovana Danalí, com produção e logística de Herberth Virgínio e direção de Felipe Maya Jatobá.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
© Copyright 2022Portal A Crítica.Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por
Distribuído por