Publicidade
Entretenimento
GEEK

Criador da Brasil Game Show conta história da maior feira de jogos da América Latina

Caravanas do Brasil inteiro vão para o evento em São Paulo, somando cerca de 300 mil visitantes a cada edição 18/02/2018 às 17:01 - Atualizado em 18/02/2018 às 17:09
Show 1
(Foto: Divulgação)
Tiago Melo Manaus (AM)

Em 2009, quando o jornalista e colecionador de games Marcelo Tavares decidiu organizar em São Paulo uma feira voltada para a área, uma que se equiparasse à gigante, e mais importante do ramo, Electronic Entertainment Expo (E3), ele mal poderia imaginar que hoje, cerca de dez anos depois, o seu Brasil Game Show (BGS) a superaria em tamanho e em número de visitantes, e que por ele passariam convidados importantes para a indústria, como os criadores das séries Metal Gear e Mortal Kombat ou o chefe da divisão Xbox da Microsoft, entre outros nomes de peso.

“Eu via lá fora os eventos, como a E3, e tinha aquele desejo de ter acesso às novidades, de recriar aqui a mesma atmosfera e agrupar milhões de pessoas apaixonadas por videogame no Brasil. Foi um começo difícil, de muita ralação. A nossa primeira BGS foi totalmente desenvolvida por mim e era muito mais simples, mas foi o pontapé inicial”, relembrou Tavares, ressaltando que a feira tomou proporções muito maiores do que ele sonhava a partir do quarto ano. “O próprio mercado de games ultrapassou o que nós imaginávamos há dez anos e a feira é um reflexo disso”, completou Tavares.

Detentora de números expressivos, a BGS já se consolidou como o maior evento de games da América Latina e um dos principais do mundo. Em dez edições, mais de 1,5 milhão de visitantes passaram pela feira e puderam curtir milhares de jogos, atrações exclusivas e ver grandes nomes da indústria mundial. Dentre esse 1,5 milhão de pessoas, Tavares é uma delas. Aficionado por games, o empreendedor, que possui um acervo de 350 consoles de todas as gerações e mais de 4 mil jogos, conta que também já viveu seus momentos de fã na feira.

“O convidado que mais me marcou foi, sem dúvidas, Nolan Bushnell, o criador do Atari. Sou colecionador e meu primeiro console foi um Atari, que eu levei para Bushnell autografar. Tem convidados que acabam se aproximando e virando um amigo, e esse foi um dos casos. Ele é um cara que apesar da idade tem uma mente jovem e um espírito empreendedor e criativo. Em um dos dias da feira, almoçamos juntos e ele teve várias sacadas em relação ao mercado e ao próprio evento. Para mim foi como uma aula de um mestre”, comentou Tavares.

Para Tavares, a BGS – com suas caravanas vindas do Brasil inteiro, somando cerca de 300 mil visitantes por edição, parceiros, fornecedores, desenvolvedores independentes, uma área maior que a E3, além de stands com um padrão de qualidade que em nada deve aos eventos internacionais – a cada ano que passa vem se tornando mais próxima de realizar seu maior desejo. “Quem sabe, em um futuro próximo, possamos sediar anúncios globais de novos jogos e tecnologias aqui na BGS”, afirmou ele.

Nova versão do livro

A história e os bastidores destes dez primeiros anos são contados em detalhes no livro “Brasil Game Show – o Livro”, que acaba de ganhar uma nova edição bilíngue, com capa dura, texto revisado, embalagem exclusiva e diagramação totalmente reformulada, publicada pela editora Europa. Em edição limitada, a nova obra já está disponível para compra pelo site da BGS e custa R$ 99.

11ª edição em outubro

Se no ano passado, a feira contou com dez convidados internacionais, o objetivo para 2018, conforme o organizador, é dobrar o número. “A edição desse ano gira em torno do next level, ou seja, do salto de qualidade”, disse ele.

A edição 2018 da Brasil Game Show acontecerá de 10 a 14 de outubro no Expo Center Norte, em São Paulo. O evento já tem dois grandes nomes internacionais confirmados: Katsuhiro Harada, diretor de “Tekken”, e Howard Scott Warshaw, um dos primeiros desenvolvedores de jogos eletrônicos e autor do jogo “E.T. the Extra-Terrestrial”.

“Ainda temos um nome polêmico para anunciar que vai render muito, além de franquias de peso e das áreas para PC, produções independentes e e-sports, que cresceram bastante. Sem falar nas atrações tradicionais, como o concurso de cosplay, também presentes”, adiantou.

Saga Kojima

Ainda que Bushnell tenha sido o convidado mais marcante para Tavares, foi Hideo Kojima, o responsável pela série ‘Metal Gear’, a maior celebridade nos dez anos de existência da feira. Tavares conta também que Kojima era o convidado mais pedido pelos visitantes da BGS e que, para conseguir trazê-lo ao Brasil, foram necessários mais de 150 e-mails trocados entre a produção do evento e a equipe do diretor.

“Não é para menos, o homem é um gênio e vai ser lembrado como isso no futuro. Já havíamos tentado trazê-lo anteriormente, quando ele ainda estava na Konami. O processo todo durou mais de um ano e envolveu uma série de tratativas, carinho e cuidado. No final das contas, a vinda dele foi muito positiva. Todo mundo amou e se divertiu, inclusive ele. Esperamos que ele possa marcar presença novamente nas próximas edições”, concluiu Tavares.

Publicidade
Publicidade