Publicidade
Entretenimento
Vida

Dos ateliês ao palco: estilista e cantor amazonense faz show em Manaus em novembro

Um dos estilistas mais aclamados do Rio de Janeiro, Napoleão Lacerda há três anos decidiu investir na carreira de cantor entoando clássicos da MPB 28/09/2015 às 09:56
Show 1
Napoleão Lacerda
ACRITICA.COM Manaus

Se o amazonense Marcos Napoleão pudesse ser descrito em três palavras, certamente elas seriam: versátil, aventureiro e desbravador – todas elas dignas de um autêntico sagitariano. E elas se aplicam muito facilmente ao seu cotidiano. Conhecido nacionalmente como Napoleão Lacerda, um dos estilistas mais aclamados do Rio de Janeiro, há três anos ele decidiu investir na carreira de cantor. Adotou um novo “nome de guerra” e está prestes a fazer sua estreia nos palcos de sua cidade natal.

Com o show batizado de “Costuras populares”, fazendo referência as seus dois ofícios, ele se apresenta no Teatro Manauara, no próximo dia 15 de novembro, tendo como pré-show a cantora Ellen Mendonça. “Tenho feito uma série de shows no Rio e agora estou indo para Manaus. É uma expectativa enorme. Será um momento mágico estar na minha terra fazendo o que amo. O público pode esperar boa música e muito alto astral”, afirma o artista.

Segundo ele, sua saída de Manaus, há 30 anos, deu-se pelo simples fato da inquietação. “Queria desbravar o mundo. Na época, não tinha ideia do que eu queria fazer, mas o desafio era fascinante”. Arrumou as malas e partiu para São Paulo, seu primeiro destino. “Foi uma experiência surpreendente. São Paulo estava no começo dos anos 1980, uma efervescência de ideias. Ali começou o meu laboratório de vida, um desbunde total”, conta o artista.

Porém, foi o Rio de Janeiro que lhe encantou. A sua ida para a Cidade Maravilhosa foi descrita por ele como algo natural. “Foi uma consequência inevitável, aquelas coisas que acontecem sem programar. A cidade é superficial à primeira vista, mas quando você vive nela, mesmo com todos seus problemas, é um lugar único no mundo”, declara.

Sucesso

Apesar do sucesso na casta fashionista, sua vida mudou completamente após uma grave depressão. Foi quando descobriu-se cantor. “Foi como se o meu cérebro enviasse uma mensagem avisando que era hora de mudar. Acabei ganhando este presente do universo”. E a partir daí, buscou se profissionalizar. Passou a ter aulas de canto, interpretação e viver mais fortemente o cenário artístico carioca.

E como um grande amante da Música Popular Brasileira (MPB), ele não poderia deixar de interpretar clássicos de importantes artistas como Lupicínio Rodrigues, Pixinguinha, Noel Rosa, Cartola, Nelson Cavaquinho, Vinicius de Moraes, Dorival Caymmi e Chico Buarque. “Sou guiado pela emoção. E as canções compostas e interpretadas por esses artistas me emocionam”, revela ele.

Apesar dessa sua paixão pela MPB, Napoleão não poupa críticas ao cenário da música atual. “Temos uma riqueza musical fabulosa, mas a massificação de alguns ritmos pela grande mídia e preocupante”, opina.

Ensaios

Como todo artista que se preze, Marcos Napoleão mantém um ritmo frequente de ensaios. “É algo muito prazeroso, sem rotina. Tenho um convívio enorme com o maestro Tancredo Oliveira, estamos sempre trocando algo. Meus shows nunca são iguais, sempre mudo, tirando e acrescentando musicas. Gosto de experimentar sempre, sem medo de errar, isso me faz feliz”.

Sem data para a gravação de CD e DVD, o cantor declara que, por enquanto, seu lado estilista ficará “de lado”. “Mas sei que essa verve vai aparecer a qualquer momento, pois na minha vida nada é definitivo”. E mesmo assim, não se nega a dizer o que é ‘in’ e ‘out’, assim como fazem os grandes fashionistas. “Sem dúvida, ‘in’ é ser simples e ‘out’ é ser esnobe”, finaliza.

Serviço

O que é: “Costuras populares” com Napoleão Lacerda
Onde: Teatro Manauara, Manauara Shopping, avenida Mario Ypiranga Monteiro, 1.300, Adrianópolis
Quando: dia 15 de outubro, quinta-feira
Informações: (92) 98130-1234 ou 98214-1582

Publicidade
Publicidade