Publicidade
Entretenimento
Vida

Editais da Manauscult tiveram metade dos projetos inabilitados na 1ª fase

Dos projetos considerados inabilitados à segunda fase, 43 não possuíam a cópia do documento de identificação do proponente (RG e CPF ou CNPJ, no caso de pessoa jurídica) 18/05/2015 às 19:37
Show 1
A premiação será distribuída entre 106 projetos nas áreas de Conexões Culturais, Ocupação Artística e Cultura Hip Hop
acritica.com ---

Dos quase 500 projetos inscritos para os Editais de Cultura 2015 da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), 54% não foram habilitados na primeira fase de análise técnica de documentos. Dos projetos considerados inabilitados à segunda fase, 43 não possuíam a cópia do documento de identificação do proponente (RG e CPF ou CNPJ, no caso de pessoa jurídica). Todos os itens que desabilitaram os concorrentes são obrigatórios e estavam descritos nos editais de Conexões Culturais, Ocupação Artística e Hip Hop.

A listagem completa com os motivos que não habilitaram os proponentes à segunda fase está publicada no site da Manauscult (manauscult.manaus.am.gov.br/editais-2015/) e uma relação nominal dos projetos também foi publicada na edição 3648, de 15 de maio, do Diário Oficial do Município (DOM). "A ausência desta documentação obrigatória é definitiva para a desabilitação no processo de seleção. Infelizmente foi um percentual muito expressivo, mas ainda existem mais de 220 projetos que continuam na disputa para os 106 prêmios que a Prefeitura de Manaus disponibilizou", declarou o diretor-presidente da Manauscult, Bernardo Monteiro de Paula.

Nesta primeira fase da seleção, uma comissão técnica foi dedicada exclusivamente a checar se os proponentes apresentaram todos os documentos exigidos no edital. Entre os 497 inscritos, 270 projetos estavam com pendências e alguns apresentavam mais de um problema na documentação obrigatória. Os principais os motivos das inabilitações foram ausência de documentos de identificação do proponente, projetos sem carta de anuência, comprovante de residência, projeto técnico, ausência ou problemas no portfólio, falta de comprovação de atuação na área e falta de encadernação da proposta.

Entre os desabilitados, 60 não apresentaram carta de anuência dos envolvidos no projeto ou este documento tinha inconsistência, como ter sido assinado pelo próprio proponente. A carta de anuência é obrigatória para comprovar que todos os profissionais ou artistas citados no projeto de fato participarão de sua execução. Outro item que prejudicou 63 candidatos foi a falta de portfólio ou documentos incompletos ou ilegíveis. E ainda 51 projetos foram desclassificados por terem sido apresentados sem encadernação, que é uma medida adotada para dar mais segurança aos próprios proponentes.

Oficinas para esclarecimentos

Desde o lançamento dos editais, no final de março, e durante o período de inscrições, a Manauscult realizou oficinas para auxiliar e tirar dúvidas quanto à elaboração dos projetos. Somente no Les Artistes Café Teatro foram realizadas seis oficinas, sendo duas direcionadas para cada edital, além do atendimento a grupos específicos que solicitaram à Fundação um profissional para atendê-los fora da Manauscult. Com o objetivo de exterminar as dúvidas e minimizar o número de projetos desabilitados no decorrer do processo, também foram colocados à disposição dos interessados atendimento por telefone e por email.

Segunda fase

Prevista para iniciar após a finalização das respostas para os recursos, conforme prevê o edital, a segunda fase será focada na avaliação da qualidade dos projetos técnicos. As propostas estão sendo analisadas pelos 14 membros das Comissões Técnicas e de Seleção dos Editais, formada por representantes da Manauscult e pessoas do notório conhecimento de arte, entre elas pesquisadores, professores e artistas.

A premiação será distribuída entre 106 projetos nas áreas de Conexões Culturais, Ocupação Artística e Cultura Hip Hop. Os prêmios variam de R$ 10 mil a R$ 70 mil, totalizando mais de R$ 3 milhões. Os prêmios destinados pela Prefeitura de Manaus são os maiores valores já investidos pelo poder público local nestas modalidades de qualificação artística no Estado.

*Com informações da assessoria de comunicação. 


Publicidade
Publicidade