Publicidade
Entretenimento
Vida

Efeito Gatsby: filme inspira revival na moda

A atmosfera do filme também tem servido de inspiração para a moda, que lançou um novo olhar para os anos 1920 ainda antes do lançamento do longa de Luhrmann. Ainda em 2011, por exemplo, Gucci e Ralph Lauren desfilaram coleções cheias de referências aos looks da época, cheios de melindros e grafismos do movimento Art Déco 10/06/2013 às 09:40
Show 1
Com a estreia do filme, volta a entrar em evidência o estilo da década que ficou conhecida como a Era do Jazz ou, simplesmente, “anos loucos”
Rosiel Mendonça Manaus, AM

Nas telonas de todo o Brasil desde a última sexta-feira, o remake de “O Grande Gatsby” é o assunto do momento, apesar de não ter alcançado cotações altas no ranking dos críticos de cinema. O novo filme de Baz Luhrmann (“Moulin Rouge”), baseado no romance homônimo de F. Scott Fitzgerald (1896-1940), recria o glamour, os vícios e o estilo de vida extravagante da elite norte-americana do início dos anos 1920. Esse mix de referências rende um show de imagens que não deixam de receber o toque pop do diretor.

A atmosfera do filme também tem servido de inspiração para a moda, que lançou um novo olhar para os anos 1920 ainda antes do lançamento do longa de Luhrmann. Ainda em 2011, por exemplo, Gucci e Ralph Lauren desfilaram coleções cheias de referências aos looks da época, cheios de melindros e grafismos do movimento Art Déco.

Com a estreia do filme, volta a entrar em evidência o estilo da década que ficou conhecida como a Era do Jazz ou, simplesmente, “anos loucos”. “No cinema, há muito tempo um lançamento não causava tanto alvoroço na moda quanto ‘O grande Gatsby’, que tem nas roupas e joias um de seus pontos fortes”, opina a estilista amazonense Midori Nakamura.

Estilo

De acordo com ela, a segunda década do século 20, nos EUA, foi de muita de prosperidade e liberdade, animada pelo charme das melindrosas, que eram as mulheres modernas da época. “O vestido preto com franjas é o próprio estereótipo delas, além de muito brilho e plumas. Entretanto, a modelagem predominante não destacava as curvas femininas, os vestidos eram tubulares com a barra pouco acima dos joelhos”, explica Midori.

Enquanto o estilo das mulheres correspondia ao início da liberação sexual, o homem daquele período se preocupava mais em ostentar sua fortuna em cortes personalizados. “Muita gente não sabe, mas a principal referência de moda feminina nos anos 1920 foi o Egito Antigo. A beleza e as roupas faziam menção à mulher egípcia, que era lânguida com muitos adornos, à exuberância das joias e muito brilho”, afirma o editor do blog de moda Maoleskine, André Barbosa.

Como usar

Segundo Barbosa, o desafio do filme foi incorporar essas referências ao figurino de forma que os atores não parecessem estar fantasiados e suas roupas tivessem relevância na moda atual. O editor do Maoleskine já adianta algumas dicas para adaptar o clima de “O grande Gatsby” para Manaus:

“Para as meninas, vale apostar nos vestidos com estampa Art Déco, óculos de sol arredondados com armação em tom claro e colar de pérolas. Já para os meninos, a dica é o colete em tecido nobre, smoking em tom claro e sapato modelo Wingtip”.

Para Midori Nakamura, a Era do Jazz também pode inspirar muitos looks nos dias de hoje. “A dica para sair de casa sem parecer fantasiada é combinar elementos da década de 1920 com peças mais atuais. Se optar pelo vestido de franjas, cuidado com os acessórios para não carregar o visual”.

Mais efeitos

#gatsbypics: O site oficial do filme reservou um espaço para os fãs mostrarem suas fotos inspiradas no estilo dos anos 1920. Os cliques podem ser enviados pela página http://photos.thegreat gatsbymovie.com ou postadas via Twitter ou Instagram com a hashtag #gatsbypics.

Drinques

O bar do hotel 21 Club, em Nova York, criou três drinques inspirados no romance de Fitzgerald: “Lavender Lime Rickey”, “Mint Julep” e “The Beautiful Fool” (foto). Leves, saborosos e fáceis de preparar em casa.

Oscar Freire

Até esta quarta-feira, dia 12, a rua Oscar Freire (Zona Oeste de São Paulo) estará decorada no estilo do filme, com bancos, relógios, floreiras e luminárias de época. A ação foi idealizada pela Warner Bros.

Saiba +

O filme de Luhrmann também inspirou a coleção “Ziegfeld”, disponível em todas as lojas brasileiras da Tiffany & Co. desde o mês passado. A linha também celebra o 175º aniversário da grife com joias inspiradas em outros designs dos arquivos da Tiffany. Não faltam pedrarias como diamantes, pérolas, águas-marinhas e ônix negro.

Desfile de marcas

Tiffany & Co. os braceletes, tiaras, pulseiras e brincos do filme evocam os anos 1920 com o uso de pérolas e cristais.

Moët & Chandon

A marca deu destaque ao rótulo Imperial, que ganhou embalagens vintage para seus momentos de tela, com a intenção de manter a fidelidade histórica.

Prada

A grife criou os vestidos de festa, com muitas franjas e brilhos. O figurino rendeu uma exposição na loja do Soho, em Nova York, com 40 peças usadas na tela.

Miu Miu

Criou os figurinos femininos complementares às cenas de festa. A inspiração Art Déco deu origem a estampas geométricas em estolas e lenços que podem ser encontrados nas lojas da marca

Brooks Brothers

Produziu todas as roupas masculinas no filme (cerca de 500 ternos vintages, smokings e chapéus-coco). As criações também ganharam as vitrines das lojas no país.

Fogal

A varejista suíça de lingeries criou as meias-calças femininas com visual de época. As peças ganham destaque principalmente nas cenas de bailes de charleston.

Publicidade
Publicidade