Segunda-feira, 24 de Fevereiro de 2020
Vida

Eliakin Rufino e convidados abre primeira apresentação de 2013 do ‘Tacacá na Bossa’

Projeto realizado no Largo de São Sebastião promove primeira apresentação gratuita deste ano com artistas amazonenses



1.jpg Rufino nasceu em Boa Vista e é um dos integrantes do movimento Roraimeira
03/04/2013 às 08:57

Nesta quarta-feira (03) à noite, o Tacacá da Gisela dá início à nona temporada do projeto “Tacacá na Bossa”, que promove sessões de música regional no Largo de São Sebastião sempre às quartas-feiras, às 19h, com acesso gratuito. O artista escolhido para dar largada a mais esta edição foi o poeta e compositor roraimense Eliakin Rufino, que escolheu Manaus para inaugurar sua agenda de apresentações para 2013.

Marca registrada de Rufino, o show desta quarta-feira também vai abrir espaço para a participação de convidados especiais. No “Tacacá na Bosa” de hoje, quem dividirá o palco com ele serão os músicos Armando de Paula, Gonzaga Blantez, Salomão Rossy, Cileno e Lucilene Castro.



“Sempre convido alguém da cidade onde vou me apresentar para dividir o show comigo. É uma forma de dar continuidade a essa tradição gregária da música e de celebrar o encontro com parceiros e músicos com quem já tenho afinidade”, explicou o compositor, que morou em Manaus nos anos 1980.

Segundo o roraimense, o repertório da apresentação vai contar com os grande sucessos dos seus mais de 30 anos de carreira, desde os hits mais antigos, como “Mosquito da malária”, até os mais recentes, a exemplo de “Pimenta com sal”, gravada pela diva do tecnobrega Gaby Amarantos. “Também vou tocar composições inéditas e recitar alguns poemas. O trabalho criativo não para!”, garantiu Rufino.

NOVA GERAÇÃO

O artista também está com a bola toda entre a nova geração da música. Não foi só Gaby Amarantos que gravou um hit do compositor roraimense: no ano passado, a cantora paraense Aíla deu voz à música “Todo mundo nasce artista” em seu disco de estreia, “Trelelê”. A banda amazonense Alaídenegão foi além e compôs “Batom na cueca” em parceria com Rufino, música que tem entrado no repertório da maioria das apresentações recentes do grupo local.

Para o compositor, a relação com os músicos da nova geração é um misto de amizade e parceria profissional. “Estar em contato com os jovens também é outra característica minha. Tenho a experiência e eles têm a juventude; eles me rejuvenescem e eu ensino um pouco do que sei”, explicou.

Integração artística

Segundo o organizador do “Tacacá na Bossa”, Joaquim Melo, a proposta da programação para este ano é promover ainda mais a integração entre os artistas não só do Amazonas, mas também da região.

O sucesso do projeto, que conta com apoio da Secretaria de Cultura (SEC), pode ser medido pela quantidade de cadeiras que são dispostas no Largo: em 2005, quando tudo começou, elas eram apenas 30; oito temporadas depois, elas totalizam 150 e algumas pessoas ainda precisam ficar de pé.

A agenda de abril ainda vai contar com o cantor Luso Neto, no dia 10; a cantora Luciene Castro se apresenta no dia 17; no dia 22, é a vez do projeto receber o show “As cores de abril”, de Victor França.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.