Publicidade
Entretenimento
EM CARTAZ

Elisa Lucinda mergulha na poesia de Adélia Prado em peça que vem a Manaus

'A paixão segundo Adélia Prado' será apresentada no Teatro Amazonas, nos dias 11 e 12 de março 05/03/2017 às 06:00
Show a paix o segundo ad lia prado
Divulgação
Rosiel Mendonça Manaus (AM)

A atriz Elisa Lucinda demorou a se apresentar no Amazonas, mas uma porta se abriu em agosto do ano passado, quando ela passou pela capital com o espetáculo “Parem de falar mal da rotina”. Menos de um ano depois, ela volta a desembarcar em Manaus, desta vez com o espetáculo “A paixão segundo Adélia Prado”, que fica em cartaz nos dias 11 e 12, no Teatro Amazonas.

O novo trabalho é uma homenagem à obra da poeta mineira Adélia Prado, mas também está envolto num clima de dupla celebração: aos 30 anos de carreira de Elisa e aos 20 do encontro da artista com a amiga Geovana Pires, que assina a direção da peça, feita para “encher de beleza o coração e os olhos”.

Nela, Elisa divide o palco apenas com o músico André Ramos, que se reveza entre o sax, a flauta transversa e outros instrumentos. “É um solo diferente porque tem outro artista em cena. Mas o André é um músico tão integrado que ajuda a compor a peça. É difícil fazer sem ele”, comenta a atriz.

Sobre a escolha da prosa e poesia de Adélia Prado como matéria-prima do espetáculo, Elisa conta que sempre foi uma admiradora da mineira. “Adélia é uma poeta muito importante para mim, a maior viva que nós temos. Inclusive, temos o mesmo objeto inspirador, que é o cotidiano”, explica ela, que também tem um vasto conjunto de poesias publicadas e é uma das sócias da Casa Poema, no Rio de Janeiro.

“Ela se diferencia de todo mundo porque une fé e erotismo de uma maneira bastante original, conseguindo uma harmonia numa área que, pelo menos para a minha geração, era um problema”, completa.

Personas

A adaptação dos textos de Adélia para o teatro leva a assinatura de Elisa Lucinda e Geovana Pires. Nas palavras da atriz, a dramaturgia é uma espécie de “rosário de pérolas” do que a poeta escreveu. Em cena, Elisa interpreta uma mulher em suas relações de desejo e amor por Jonathan (André Ramos), revelando os antagonismos entre corpo e alma, desejo e fé.

“Procuramos tudo que ela escreveu sobre esse tema e escrevemos sobre o amor pelo homem ideal, príncipe, gostoso. E ao mesmo tempo esse homem é Jesus, o que não diminui o divino. Acho que eu me devia uma personagem feminina muito diferente de mim, embora católica”.

Elisa diz que custou a entender, mas hoje está mais claro para ela que a sua personagem é ninguém menos que a própria poeta. “Acabei construindo a Adélia sem estuda-la por for, mas por dentro. É um grande trabalho para mim, como se fosse descansar um pouco naquele país da Adélia, que nutre a alma de um jeito que só a arte pode fazer”.

Intimidade

Em “A paixão segundo Adélia Prado”, é como se Elisa Lucinda estivesse em casa. Isso porque a atriz, conhecida por novelas como “Mulheres Apaixonadas” e “Páginas da Vida”, também tem a poesia e o canto como outros de seus exercícios artísticos. 

“Escrevo desde os 17 ou 18 anos. Quando tomei a caneta na mão, percebi que podia traduzir em palavras a atração irresistível que eu tinha pela vida. Com a vida adulta, fui entendendo o poder da palavra”, conta.

Ainda na adolescência, Elisa teve aulas de interpretação teatral da poesia, o que foi a porta de entrada para o desejo de se tornar atriz. Mas, diante das inseguranças da carreira, ela foi convencida a deixar o sonho de lado e acabou se formando em Jornalismo. Anos mais tarde, porém, o chamado à atuação falou mais alto e ela partiu para o Rio de Janeiro, onde passou a participar de recitais em bares da cidade. 

Seu jeito coloquial de declamar chamou a atenção de gente como Manoel Carlos, autor de novelas para as quais Elisa foi convidada. “Hoje acho a poesia e atuação indissociáveis na minha vida, e já nem quero saber quem veio primeiro”.

Serviço

o quê: Espetáculo “A paixão segundo Adélia Prado”, com Elisa Lucinda
quando: Dias 11 (20h) e 12 (19h) de março
onde: Teatro Amazonas, Largo São Sebastião
quanto: Plateia - R$ 25 (meia); Frisa - R$ 20 (meia); Demais pavimentos - R$ 15 (meia)

Publicidade
Publicidade