Publicidade
Entretenimento
Vida

Em entrevista, Julia Petit conta detalhes das criações exclusivas para a M.A.C e dá dicas de beleza

A paulistana que se tornou fenômeno mundial, conquistando milhões de seguidores na Internet, tornou-se a primeira mulher no País a assinar uma linha de maquiagens para a canadense M.A.C. 22/03/2015 às 11:35
Show 1
A expert em moda e beleza fenômeno na Internet Julia Petit
Lucy Rodrigues* São Paulo

Irreverente, dinâmica, multitalentosa. Adjetivos não faltam para descrever Julia Petit. A paulistana que se tornou fenômeno mundial, conquistando milhões de seguidores na Internet, ao literalmente mostrar a cara lavada em pioneiros tutoriais de maquiagem e dicas de moda e beleza no Brasil, conseguiu tornar-se a primeira mulher no País a assinar uma linha de maquiagens para a canadense M.A.C. (outro brasileiro foi Pedro Lourenço em 2014). Em entrevista ao Vida&Estilo durante evento de lançamento da coleção, a ruiva comentou sobre o feito e revelou suas inspirações para a criação dos produtos que têm um pé bem aqui, na maior floresta tropical do mundo. Confira trechos da entrevista:

V&E- O que esse convite representa para você?

 Júlia - Acho que isso tem um significado muito importante não só para mim, mas para o nosso País. Para mim é maravilhoso, é um sonho, tipo um absurdo...mas acho que para o Brasil é muito mais importante uma marca como a MAC estar investindo dentro do País, querendo que pessoas daqui representem a marca não apenas aqui dentro, mas também mostrem o Brasil lá fora [a linha exclusiva será vendida em 30 países]. Em um momento com tantas notícias tristes, essa é uma ótima notícia e isso mostra também o tamanho e a força do nosso mercado.

V&E- Como foi o processo de desenvolvimento? 

Júlia -Foram dois anos e meio do convite até o desenvolvimento dos 11 produtos que compõem a coleção. Foi um sacrifício guardar segredo por tanto tempo! Minha inspiração foi justamente a mistura do encanto tropical com a paisagem urbana. Pensei em uma paleta de cores clássica e intuitiva, que valorizasse a pele da brasileira mas que também fosse fácil de entender e agradasse mulheres em qualquer parte do mundo. 

V&E-Todo o conceito da campanha é voltado para o clima tropical quente e úmido. Qual o diferencial para que esses produtos se adaptem tanto ao clima da floresta quanto ao da cidade?

Júlia -Quando comecei a desenvolver o conceito da campanha, pensei na vitória régia, que é uma planta que se adapta ao clima quente e vive na água, na umidade. As primeiras observações que ouvi das meninas da M.A.C  foi sobre a durabilidade da maquiagem e tons para se adaptar na pele de todo mundo. Então, pedi  para que eles desenvolvessem uma maneira de fazer esses produtos ainda mais duráveis. Outra coisa que tem a ver que eu acho é que às vezes a gente tenta controlar demais esse efeito do calor na pele. Dá pra controlar um pouco, mas se controlar demais, você acaba tendo o efeito oposto e ficando com uma maquiagem horrível. Então a coleção busca esse controle, mas não é algo exagerado. É um pouco de assumir essa coisa nossa, somos pessoas que brilham, gente, tudo bem! A intenção da coleção não é você virar uma mulher de porcelana no meio da selva. É você aprender a lidar com isso e trabalhar também com um clima que pode ser menos tropical, como o de São Paulo, onde você pode dar esse efeito do brilho artificialmente com o iluminador. Ou se você tá num clima que já tem isso [como o de Manaus], você vai controlando. Não é sobre dominar, mas sobre se adaptar, conviver e ser feliz. A minha vitória régia não é a sua, porque a sua está na natureza e a minha tá no jardim artificial que o Burle Marx fez (risos).


São 11 produtos, entre eles três batons nas cores Petit Red, Açaí e Boca

V&E-Como você cuida da sua beleza e quais os produtos da coleção são seus preferidos para usar de dia e de noite? 

Júlia -Eu tenho o cuidado de sempre que é limpar e hidratar. Não tenho essa coisa de creme pra olho, creme pra testa, creme pro  pescoço...Para mim um creme é suficiente pra tudo. Não tenho uma loucura. Às vezes no inverno aproveito para fazer um ácido retinóico bem de leve no rosto para dar uma limpadinha na questão de manchas, pois meu rosto mancha muito; também gosto de fazer uma vitamina C fresca no rosto, é bom. Tô tentando tomar vergonha e voltar para academia, mas não está sendo fácil (risos). Quanto aos produtos, de dia, gosto muito de cara lavada e só batom. Tipo o Açaí e Petit Red. À noite gosto da dupla de sombras Mumu, que é o chumbo com doce de leite e o delineador bem forte, com o batom Boca ou o gloss. Eu gosto de quase sem boca à noite. 

V&E-Você foi uma das pioneiras no Brasil a postar tutoriais de beleza e moda na internet. O que acha dessa explosão das blogueiras de moda e beleza e toda essa diversidade de conteúdo sobre o assunto na web?

Júlia -O que eu faço é coletivo, eu não faço pra mim. Trabalhar no digital é coletivo. Obviamente eu faço o que eu quero. A internet deu pras pessoas a possibilidade de ter serviços, pessoas dando muitas dicas que antes elas tinham pouco acesso ou nenhum. Lá você tem acesso a informações simples, não tão editadas como um veículo que tem que preparar mais lentamente a informação como uma revista, por exemplo, e a gente pode dar o serviço de forma mais rápida. Acho que o ritmo da internet é exatamente esse. É tudo muito, não tem mais pouco. Tem muito bom, muito ruim, e agora mais do que nunca você tem que saber o que você quer ler.

*A jornalista viajou a convite da MAC Cosmetics

Publicidade
Publicidade