Quarta-feira, 08 de Julho de 2020
BOI-BUMBÁ

Em Parintins, Wilson Lima considera 'realização' de Festival Folclórico por lives

Segundo governador, realização presencial da Festa ainda em 2020 depende de avaliação de especialistas e autoridades sanitárias



WhatsApp_Image_2020-06-05_at_15.36.29_3EDA8E7B-65A6-4653-816B-36EF83F71EFA.jpeg Foto: Divulgação
05/06/2020 às 15:37

Em visita ao município de Parintins (distante 366 quilômetros de Manaus), o governador do Amazonas, Wilson Lima, considerou, nesta sexta-feira (5), que os bumbás Caprichoso e Garantido façam transmissões ao vivo pelas redes sociais (lives) nos dias marcados para o Festival Folclórico, em 26, 27 e 28 de junho.

Segundo o governador, a realização presencial do Festival de Parintins, que em 2019 recebeu mais de 60 mil turistas, vai depender da avaliação de especialistas, profissionais e das autoridades sanitárias, "para entender qual o momento e se é possível fazer nesse ano de 2020 ou não".



No final de maio, a operadora do Festival, Amazon Best, anunciou o adiamento do Festival devido às medidas restritivas de prevenção à pandemia do novo coronavírus. Em Parintins, o governador deve se reunir com a diretoria dos bumbás para decidir os rumos do Festival.

Para Wilson, esse não é um momento de festa, mas sim de pensar na vida das pessoas. O governador disse, no entanto, que é preciso levar em consideração a tradição e a importância do Festival para a economia da Ilha Tupinambarana.

"Quando falo da importância, não estou me referindo à festa ou à diversão, mas à economia que o festival produz pra essa região, a vitrine que é para o apelo não só à proteção ambiental, mas sobretudo à proteção do nosso povo, do negro, do caboclo, do índio, do ribeirinho, das pessoas que habitam essa terra", explicou.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.