Publicidade
Entretenimento
REFUGIADOS

Em viagem ao Líbano, Angelina Jolie pede apoio a refugiados da Síria

A guerra síria já matou mais de 250 mil pessoas, deixou metade da população desabrigada e criou a maior crise de refugiados do mundo desde a Segunda Guerra Mundial 16/03/2016 às 15:07
Show angelina organizacao nacoes unidas libano acrima20160316 0030 15
Angelina Jolie, enviada especial da Organização das Nações Unidas, durante visita ao Líbano (REUTERS/Mohamed Azakir)
Reuters MANAUS

A atriz Angelina Jolie, que é enviada especial da Organização das Nações Unidas (ONU), exortou as potências mundiais na terça-feira a fazerem mais para pôr fim à guerra de cinco anos na Síria e ajudar as milhões de pessoas que fugiram do conflito enquanto visitava refugiados no Vale do Bekaa, no Líbano.

A guerra síria já matou mais de 250 mil pessoas, deixou metade da população desabrigada e criou a maior crise de refugiados do mundo desde a Segunda Guerra Mundial. A ONU media conversas para uma solução política em Genebra, mas as esperanças de progresso são modestas.

Diante de políticos que parecem incapazes de obter uma solução diplomática, simplesmente lidar com a crise humanitária crescente não é uma alternativa viável, disse Angelina.

"Não podemos administrar o mundo com alívio humanitário no lugar de diplomacia e de soluções diplomáticas", disse ela em um campo enlameado de Saadnayel, a cerca de 15 quilômetros da fronteira com a Síria. Refugiados se reuniam ao redor, enfrentando chuva e ventos fortes.

"Precisamos que governos de todo o mundo mostrem liderança: para analisar a situação e entender exatamente o que seu país pode fazer, quantos refugiados podem assistir e como."

Enfatizando o enorme influxo de refugiados nos vizinhos imediatos da Síria, que vêm acolhendo milhões deles, Angelina Jolie disse que o problema "não se limita à situação de dezenas de milhares de refugiados na Europa".

Publicidade
Publicidade