Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019
Vida

Emmy Awards premia os melhores da TV

Em sua 65ª edição, o “Oscar da televisão” consagrou os seriados “Modern Family” e “Breaking Bad”



1.jpg “Breaking Bad” levou a estatueta de Melhor Série Dramática
24/09/2013 às 08:47

O Nokia Theatre, em Los Angeles, voltou a receber as principais estrelas da TV norte-americana para mais uma edição dos Emmy Awards, cerimônia considerada o Oscar da telinha. Em sua 65ª edição, o prêmio consagrou, no último domingo (22), as séries “Modern Family” e “Breaking Bad”, em noite recheada de homenagens e surpresas, comandada pelo ator Neil Patrick Harris (“How I Met Your Mother”).

O seriado fenômeno de crítica “Breaking Bad” bateu os favoritos “Homeland” (detentor da estatueta) e “House of Cards” na categoria de Melhor Série Dramática. A produção, exibida no Brasil pelo canal pago AXN, narra a história de Walter White (Bryan Cranston), um professor de química do Ensino Médio diagnosticado com câncer de pulmão que abraça uma vida de crimes, produzindo e vendendo metanfetaminas com o seu ex-aluno Jesse Pinkman (Aaron Paul). A série ainda levou para casa o prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante em Série Dramática, com a atriz Anna Gunn.



Já a famosa “Modern Family”, que conta com Sofia Vergara (a atriz mais bem paga da televisão) em seu elenco, defendeu o título de Melhor Série de Comédia. Essa é a 4ª vez consecutiva que o seriado vence a disputa. Em outras palavras, desde a sua estreia, ele nunca perdeu na categoria. Exibida no País pela Fox, a sitcom acompanha três casais, mostrando a vida de uma família mais tradicional, de um casal gay e de um homem que casou com uma mulher 25 anos mais nova.

HOMENAGEM

Durante a cerimônia, as atrizes Edie Falco e Jane Lynch prestaram homenagens aos companheiros de trabalho James Gandolfini e Cory Monteith, respectivamente, mortos neste ano. O momento solene aconteceu durante a sessão In Memoriam, que lembra as perdas sofridas pela TV desde a última edição dos Emmy.

Falco, que contracenou com Gandolfini durante dez anos na renomada “Família Soprano”, ressaltou o talento do colega em seu discurso. “Sua interpretação na série tinha tanta qualidade que as pessoas não acreditam que ele não tinha a mesma personalidade do personagem”, disse a atriz. “Todos conheciam James, o ator. Eu tive a sorte de conhecer o homem. Ficava impressionada com a sua lealdade à família e aos amigos. Posso dizer que é do James, homem, de quem vou sentir mais saudade”, completou. Gandolfini, dono de três prêmios Emmy, faleceu em junho deste ano, vítima de um ataque cardíaco.

Rivais no musical “Glee”, Lynch lembrou quando conheceu Monteith pela primeira vez. “Desde a primeira vez que o vi, me apaixonei. Saibam que todo o carinho, charme e transparência que você via nele eram verdadeiros”, destacou a treinadora Sue Sylvester da série. “Ele não era perfeito, e muitas pessoas neste auditório podem se relacionar com isso. Sua morte é lembrete trágico da destruição causada por um vício. Para a geração que o amava, saiba que ele mereceu seu amor. E se tivessem tido a sorte de conhecer Cory como nós, eu juro que o teriam amado ainda mais”, encerrou. Monteith foi vítima de uma overdose de álcool e heroína em julho, aos 31 anos. Além da dupla, foram lembrados, ainda, os atores Gary David e Jonathan Winters e a atriz Jean Stapleton.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.