Domingo, 21 de Julho de 2019
FLIP 2019

Escritores amazonenses participam da Feira Literária Internacional de Paraty

Evento vai até domingo, em cidade do interior do Rio, e propõe reflexão sobre a obra de Euclides da Cunha



1562781993155043_1A5D4A24-C77C-477C-B015-BDD4CF726FB9.JPG Beatriz Guimarães e Elpídio Nunes (Divulgação)
10/07/2019 às 14:08

Hanne Assimen e Rosiel Mendonça

Dois talentos amazonenses vão marcar presença na 17ª edição da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), no interior do Rio de Janeiro, que começa nesta quarta (10) e vai até domingo (14). Um desses talentos é o escritor Elpídio Nunes, que tem quase 40 anos de paixão e dedicação à literatura. Durante a Flip, ele lançará sua sexta obra, “Lúcidos Delírios”, reunião de 35 poemas, entre eles “A Palavra Escorpião”, que ficou em primeiro lugar no concurso da Academia Literária Internacional (Alpas 21).

Em seu novo livro, o autor dedica-se a encontrar a melhor forma de revelar a poesia ao leitor, com uma escrita fluida e limpa, carregada de provocações e reflexões sobre a arte literária e o fazer poético. Numa sociedade cada vez mais dependente das tecnologias, em que os laços com a literatura se fragilizam a todo instante, Nunes busca apresentar uma poesia prazerosa para ser lida e que prenda a atenção a cada estrofe, construindo o elo vida-poesia.

“‘Lúcidos Delírios’ é um livro que tem uma proposta literária de abordar temas do nosso cotidiano que nos afetam como seres humanos, como o amor, ódio, esperança, desespero, tristeza, alegria. A ideia é poetizar esses sentimentos, fazendo uma abordagem em relação ao convívio social, mas também mostrando a capacidade de reconstrução, adaptação, transformação e a capacidade de sonhar por algo melhor”, destaca Nunes.

O poema “A Palavra Escorpião” também faz parte da Coletânea Internacional Paraty Alpas 21, composta por poesias, contos e romances, que será lançado na Câmara Municipal de Paraty, no sábado (13). Já o livro “Lúcidos Delírios” terá lançamento e sessão de autógrafos em Manaus no dia 30 deste mês.

Para crianças

Outra amazonense que estará na Flip é a jovem escritora Beatriz Guimarães, de 18 anos. No dia 13, ela é uma das convidadas do bate-papo “Criança escrevendo para crianças”, realizado pelo Sesc no Areal do Pontal. A autora vai dividir com o público como foi o processo de produção do seu primeiro livro, quando ainda tinha oito anos, e os desafios de começar a escrever obras literárias tão cedo.

Beatriz conta que começou a despertar para a literatura quando conheceu o poema “Meus oito anos”, de Casimiro de Abreu, autor da segunda geração do Romantismo brasileiro. “Eu me apaixonei por essa obra e decorei por completo. Foi quando minha mãe deu a ideia para eu começar a escrever meus próprios poemas. Até que chegou um momento em que eu tinha uma quantidade grande de produções e decidimos reunir tudo num livro”, lembra.

A estreia de Beatriz foi aos 10 anos com o livro “Coisas da Tiz”, que trouxe uma série de poemas sobre “coisas de criança”, como ela define: cores, sorvete, etc. A obra incluiu ainda uma história sobre uma indiazinha que tem um macaco de estimação. “É um livro sobre como a criança vê o mundo e consegue transmitir o que ela observa”, explica a escritora.

O segundo livro veio aos 12 anos – com versões em português, inglês e espanhol, “Mundo Imaginário da Beatriz” traz poemas mais maduros e revelam o desenvolvimento da escrita da amazonense. “Eu já tinha uma visão de mundo e uma percepção diferentes em relação ao ponto de vista de uma criança”.

Para as crianças e jovens que desejam seguir no caminho da escrita, ela aconselha: “Sigam seus sonhos e escrevam sobre o que tiverem vontade, inclusive lendo tudo que acharem interessante como inspiração”.

Receba Novidades

* campo obrigatório
News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.