Publicidade
Entretenimento
GENTILEZA URBANA

Espaços da cidade de Manaus apostam no grafite como um atrativo a mais

Conceito usado na arquitetura fala sobre obras que embelezam o seu entorno 07/05/2018 às 15:45 - Atualizado em 07/05/2018 às 15:52
Show gbgfbg
(Fotos: Euzivaldo Queiroz, Arquivo AC e Divulgação)
Tiago Melo Manaus (AM)

Há um conceito adotado pela arquitetura, o de gentileza urbana, sobre obras e empreendimentos privados que promovem intervenções para favorecer o urbanismo e o paisagismo em seu entorno. Por ser um conceito amplo, a gentileza urbana agrega iniciativas que podem ir desde estantes de livros em pontos de ônibus até um simples jardim. 

Em Manaus, alguns exemplos já podem ser notados, como os murais de grafite do Miss Doçura, do Park Vieiralves e do Shopping Ponta Negra, que ajudam a lutar contra o preconceito que a arte de rua ainda sofre.  

Pedacinho de Paris

Feito no início de abril deste ano, o painel do Miss Doçura (Av. Guilherme Paraense, Adrianópolis), leva a assinatura da Point Paint Graffiti e retrata uma cena da vida parisiense. A arte, escolhida pela proprietária Olívia Rodrigues, tem a ver com a temática do local.

“Sempre tive vontade de fazer algo no muro, mas não queria algo que fosse tão regional. Por acaso vi o trabalho do Pot no shopping Ponta Negra e gostei muito do estilo dele”, disse Olívia. 

A proprietária conta que quando decidiu fazer o trabalho foi questionada por amigos e familiares quanto à repercussão da escolha. 
“Eu quis apostar que as pessoas hoje têm uma responsabilidade maior em relação à arte de rua. E acho que se todo mundo tiver um pouquinho dessa consciência, a cidade fica mais bonita”, comentou.

Comidas e artes

Com um espaço a céu aberto, entrada gratuita e 15 opções gastronômicas, o Park Vieiralves, situado na Avenida Rio Madeira, conta com cinco muros grafitados, cujas cores se somam ao verde da grama, onde as crianças podem brincar com segurança.

Conforme a proprietária Ana Chaves, a ideia era proporcionar um espaço diversificado e leve de lazer, no qual pessoas de diversas matrizes circulassem juntas sem perder a sua essência.

“Para mim, o grafite é isso. Esses murais estão lá desde que inauguramos. Eles são uma forma de expressão de arte de rua. Com isso, pegamos vários grafiteiros que pudessem passar a nossa mensagem de diversidade, de arte e de comunhão. Eles pegaram a ideia e trabalharam nela livremente”, disse Ana.

Ao todo, o mural possui cinco artes feitas pelos artistas Mc Rose, Didier Pama e Isa, que juntas somam 12 metros de altura e 20 de largura. Para a confecção de cada arte, cada artista levou em média um mês.

Das ruas para o shopping

Com o objetivo de valorizar as manifestações culturais, o Shopping Ponta Negra transformou o terceiro piso em uma galeria de arte. No espaço, é possível o público conhecer o trabalho de grafiteiros locais . A mostra é gratuita e aberta ao público.

A produção e a curadoria são também da Point Paint Graffiti e, ao todo, oito artistas locais estão envolvidos na exposição: Vicktor Blur, Dabela Neto, Lauro Boxe, Syodo, Obys, Ilove Magenta, Rodrigo Pot e Avelino Astro.

“O grafite é uma das manifestações que têm surgido de maneira crescente, espontânea e vigorosa pela cidade, fazendo parte do dia a dia dos espaços urbanos, principalmente das grandes cidades do mundo, e vem sendo legitimado como uma manifestação artística que rompe com padrões estéticos de percepção e apreensão convencional da arte”, destacou o grafiteiro e empresário Rodrigo Pot.

Ele ainda destaca que a arte urbana é um elemento que tem contribuindo para a liberdade de expressão, para o enriquecimento da paisagem e para a valorização dos espaços públicos e privados. “É incrível ver como os empresários da cidade estão abrindo os olhos para essa questão artística do grafite e adotando essa forma de expressão em seus empreendimentos”, disse ele. 

Publicidade
Publicidade