Publicidade
Entretenimento
ALIMENTAÇÃO

Dia do Lixo: pode ou não? Especialista alerta sobre riscos de fugir da dieta

É comum pessoas que seguem dieta à risca durante a semana consumirem alimentos calóricos e de baixo valor nutricional aos finais de semana 26/02/2017 às 05:00
Show lixo dia
Foto: A Crítica
Alexandre Pequeno Manaus (AM)

Seguir à risca uma dieta é um grande desafio principalmente para os que estão começando a aderir esse novo hábito na vida. No meio do percurso em busca da reeducação alimentar, sempre surge aquela vontade de comer "besteiras" e é aí que surge o "Dia do Lixo", alternativa para evitar o abandono total da dieta. Esse dia é realizado por diversos praticantes de atividade física e até por atletas. É comum indivíduos que seguem a dieta à risca durante a semana e, nos finais de semana, consomem alimentos calóricos e de baixo valor nutricional como doces, frituras, pizzas e refrigerantes, além de bebidas alcoólicas.

Por isso, consultamos o Dr. Gimmy Sales, médico especialista em Nutrição Esportiva, Nutricionista e clínico geral, para dar mais detalhes sobre esse “dia”, além de alertar sobre alguns cuidados. Segundo Gimmy, essa opção é recomendada para as pessoas que já estão adaptadas com a atividade física intensa. “Quem precisa perder muito peso pode fazer refeições livres pontuais a cada 15 dias, já quem precisa emagrecer menos pode fazer uma vez por semana, mas em apenas uma refeição, e não um dia como muitos pensam. Nas outras refeições, a dieta deve ser seguida normalmente”, explica.

O que comer?

É inegável dizer que não dá vontade de comer uma pizza ou um sanduíche de vez em quando, nos fins de semana, porém, esses alimentos são os mais propícios para fazer as pessoas “saírem da linha”. “Comer pizza no café da manhã, lasanha no almoço e hambúrguer à noite certamente vai fazer com que você consuma muito mais calorias do que é capaz de queimar. Enfiar o “pé na jaca” não é válido, principalmente para quem está começando. Porque, depois que a pessoa sair da linha, não é muito fácil de voltar”, explica o médico.

Porém, de acordo com o médico, não existe um cardápio específico para o momento, o importante é manter o consumo racional. "Isso depende do gosto de cada um, tem gente que vai preferir um doce enquanto outra vai escolher os pratos salgados. Usualmente são ingeridos alimentos que fogem do padrão alimentar da pessoa. Os campeões do "dia do lixo" são alimentos com valor calórico mais alto ou com perfil mais rico em gordura ou açúcar do que as pessoas estão habituadas a comer. Nessa lista entram, por exemplo, pizza, hambúrguer, bebidas alcoólicas, batata frita, chocolate e sorvete. Vale lembrar que existem comidas que não devem fazer parte da alimentação de ninguém, mesmo nesse caso, como os alimentos ultraprocessados e os que têm gordura trans.

Entretanto, Gimmy afirma que, ao aderir o “Dia do Lixo”, a pessoa pode levar o esforço de uma semana inteira por água abaixo. “Se falarmos em linhas gerais, já podemos taxar o “dia do lixo” como maléfico. A cada 12h de alteração de metabolismo por consumo de carboidratos em excesso, seu metabolismo leva em média 96h para retornar ao estado dietético ideal. Então, significa que o organismo do indivíduo só iria se recompor após 4 dias. E se esse “dia do lixo” virar um hábito a pessoa irá sair perdendo nessa lógica”, explica.

Sobre o médico

Tornou-se especialista em prescrever dietas equilibradas para promover a perda de peso, ganho de peso através do aumento da massa muscular, manutenção do peso e de dietas de nutrição clínica personalizadas. Se dedica a promover uma alimentação equilibrada através da avaliação nutricional anamnese, composição corporal, valor calórico total, cardápios e consultoria através de assessoria à empresas, clubes e academias. A clínica Dr.Gimmy Sales é localizada na rua Acre, 12 sala 314, Nossa Sra. das Graças.

Publicidade
Publicidade