Terça-feira, 19 de Novembro de 2019
Vida

Espetáculo ‘Persona’ aborda realidade transexual na sede do Ateliê 23, em Manaus

A casa de criação artística concebeu o espetáculo que aborda a violência sofrida e a extrema melancolia vivida por pessoas inseridas nesta realidade



1.gif Primeira sessão será apenas para 30 pessoas. Companhia de teatro planeja temporada em todos os sábados
13/02/2015 às 13:48

A partir de depoimentos coletados em entrevistas com homens e mulheres transexuais de Manaus, a casa de criação artística Ateliê 23 concebeu o espetáculo “Persona”, que aborda a violência sofrida e a extrema melancolia vivida por muitas pessoas inseridas nesta realidade. “Não se propõe a ser um espetáculo documentário-realista, mas uma exaltação poética à realidade de ser trans nos dias de hoje”, declara o diretor da obra, Taciano Soares. Com data marcada para estreia, a peça poderá ser conferida pelo público no dia 28 de março, na nova sede do Ateliê 23 (Rua Tapajós, 166, Centro).

Ainda segundo o diretor, a palavra de ordem do espetáculo é melancolia, por este se tratar do elemento-signo da maioria dos relatos da pesquisa de campo feita pela trupe. “Inclusive porque foi uma das coisas que mais ouvimos das trans”, comenta Taciano. Para a elaboração do elenco, foram entrevistados três transexuais homens e três transexuais mulheres. “A questão do suicídio é um exemplo: todos eles já tentaram se matar, no mínimo, uma vez. Teve uma que tentou 18. Isso se dá, é claro, porque eles convivem com uma reprovação social, familiar, religiosa e política absurda”, complementa ele.



A sonoplastia do espetáculo foi moldada para se encaixar no viés melancólico. “O Ediel Castro compôs duas músicas no baixo acústico (instrumento em que ele está se formando na UEA) e também trouxe outras músicas de um jazz mais antigo (como ‘Gloomy Sunday’ que é também chamada de ‘Canção do Suicídio’, e que será interpretada pela Márcia Siqueira numa versão acappella) e As ‘Bacchianas’ do Villa Lobos, além de outras composições mais ‘reconhecíveis’, mas que sugerem essa melancolia melódica, digamos assim. Canções de ninar e da infância também compõem a pesquisa musical”, destaca Soares.

Onírico

O figurino da obra, assinado por Laury Gitana, é poético e não é baseado em uma construção óbvia ou realista dos homens e mulheres trans. “Mas nas possibilidades de sonhos e realidades que eles têm. É como se eles vestissem o que gostariam de ver ou sentir do mundo. É a nossa cota de fuga no espetáculo. Dada personagem se veste de noiva, não literalmente porque aí vem o trabalho de construção da artista do figurino, afinal ela faz um vestido que não está completo. É bonito mas é só a ideia do vestido, com arames definindo sua modelagem, mas quase sem tecido, como se tivesse desgastado. Ou então uma moça que tem a cabeça raspada e no figurino dela existe um cabelo feito de tecido de tule, simulando um cabelo ideal, mas que a gente de fora vê nitidamente que é ilusão pura”, coloca.

Por não ser concebido para um palco convencional, a peça farácom que a casa-sede do Ateliê 23 seja ocupada com elementos do processo dos transexuais, assim como em um cenário de ocupação. “As cenas acontecem em todos os lugares e o público vai se deparando, para além do trabalho dos atores, com fotos, vídeos, músicas, desenhos, cartas em todos os cantos. Os cinco atores realizam cenas ao mesmo tempo, e o tempo todo”, diz Soares. Em cena, há cartas de suicídio, fotos das personas em transição (inclusive com o tratamento hormonal), signos de agressão na casa dos pais como correntes, e cadeados. “Há músicas que nos levam para esse lugar de aprisionamento onde muitos vivem com medo da repressão social e familiar, fotos do processo, e da própria construção dos personagens”, encerra ele.

Registro

A universitária Adrielly Cordeiro, formanda em Tecnologia de Produção Audiovisual na Universidade do Estado do Amazonas (UEA) está realizando um documentário sobre a construção de “Persona”. “Esse documentário vai ser distribuído ao público, mas também projetado em alguns lugares da casa enquanto o espetáculo rola”, coloca Taciano.

Ele adianta ainda que, ao invés de circular com o espetáculo em outros locais do País, a ideia agora é trazer grupos para firmar intercâmbio com a cia. em sua própria sede, a ser inaugurada no dia 27 de março. “Agora vamos ter como receber, e como o espetáculo é uma ocupação, é difícil pensar a adaptação dele para outros lugares”, finaliza.

Ficha

Direção, Dramaturgia e Maquiagem: Taciano Soares

Elenco: Daniel Braz, Eric Lima, Isabela Catão, Larissa Rufino e Matheus Sabbá

Figurino: Laury Gitana

Trilha Sonora e Pesquisa Musical: Ediel Castro

Documentarista: Adrielly Cordeiro

Fotografias: Fabiele Vieira

Ocupação cenográfica: Ediel Castro, Fabiele Vieira e Laury Gitana

Fonoaudióloga: Suelen Monteiro

Produção Executiva: Ateliê 23

Serviço

O quê: Estreia do espetáculo “Persona”, do Ateliê 23

Quando: 28 de março

Onde: Sede do Ateliê 23 (Rua Tapajós, 166, Centro)


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.