Sábado, 20 de Julho de 2019
Vida

Estilo até no teto: dicas para embelezar a ‘quinta parede’

Nos projetos arquitetônicos, a valorização do teto não é uma regra – quem afirma é a arquiteta, urbanista e designer de interiores Leila Barakat. Para ela, alguns fatores que influenciam no projeto de um teto são a altura do pé-direito e o estilo do ambiente



1.jpg É preciso optar entre pintar o teto ou as paredes, pois o ambiente pode ficar cansativo. Usando uma cor extravagante no teto, o recomendado é escolher cores neutras para as paredes
21/05/2013 às 14:54

Atenção maior aos detalhes, padrões, cores e texturas... tudo isso pode ajudar no embelezamento do teto de um ambiente, imprimindo mais personalidade ao espaço. A Capela Sistina, uma das obras-primas do mestre renascentista Michelangelo, talvez seja o exemplo mais consistente de que a “quinta parede”, como o teto é encarado por muitos arquitetos, pode alcançar o status de verdadeira obra de arte.

Artista plástica conhecida por seus trabalhos com ilustração e lambe-lambe, a amazonense Hadna Abreu tem apostado na ceiling art como um diferencial na sua carreira. Ela assina a pintura que deu um ar ainda mais cool à Rezz Camiseteria, comandada por Rafael Rezende (ao lado). “É um trabalho que vem sendo pedido cada vez mais, porque foge dos padrões e dá uma sensação de profundidade, interagindo com o ambiente”, explicou.

A técnica usada por Hadna pode se adaptar conforme o tempo do cliente. “Quando o prazo é curto, uso uma técnica mista de pintura e lambe-lambe. Assim, levo cerca de quatro horas para concluir tudo”.

O que levar em conta

Nos projetos arquitetônicos, a valorização do teto não é uma regra – quem afirma é a arquiteta, urbanista e designer de interiores Leila Barakat. Para ela, alguns fatores que influenciam no projeto de um teto são a altura do pé-direito e o estilo do ambiente.
“Quando o pé direito tem mais de três metros e meio é quase uma obrigação explorar o teto”, opinou a especialista. “Se a altura é mediana, é preciso avaliar os prós e contras, mas se o pé-direito tem entre 2,40m e 2,60m, é preciso ter muito cuidado para não sobrecarregar o ambiente”, complementa.

Segundo Leila, uma das tendências para pés-direitos altos é o uso de madeira. Gesso acartonado, papel de parede, fibras naturais e forro acústico mineral são outros materiais que a arquiteta destaca e que estão em evidência na decoração de tetos.

O arquiteto Achilles Fernandes, que gosta de ousar aplicando sancas e papéis de parede em seus projetos, aponta que ornamentos clássicos no teto já são uma tendência ultrapassada. “Dá pena ver um projeto contemporâneo com informações antigas”, comentou.

Para ele, uma solução simples que pode valorizar essa parte do ambiente é o uso de um forro de gesso, com uma dilatação de no máximo sete centímetros, e uma iluminação que ressalte o espaço.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.