Publicidade
Entretenimento
Carioca

‘Estou morta de vergonha’, afirma brasileira flagrada na cama com Bolt

Jady Duarte afirmou ainda que está assustada com a fama repentina e que nunca pensou que sua noite com o atleta fosse ganhar as manchetes dos jornais brasileiros 22/08/2016 às 09:57
Show bolt
Brasileira teve fotos com Bolt vazada em grupos de Whatsapp
acritica.com

A vida da carioca Jady Duarte está de cabeça para baixo. Ela, que foi flagrada ao lado do campeão olímpico Usain Bolt, afirmou em entrevista ao jornal “Extra”, que está assustada com a fama repentina e que nunca pensou que sua noite com o atleta fosse ganhar as manchetes dos jornais brasileiros.

Jady foi informada que várias fotos dela com o atleta na cama tinham vazado em grupos de Whatsapp na companhia de Bolt. “Eu só mandei para o grupo das meninas minhas amigas, Agora você vê...”, observou ela: "Só mandei e disse 'só quem viu a Olimpíada vai saber quem é".

O encontro do astro e da carioca aconteceu na boate All In, na Barra, na Zona Oeste do Rio. Ela foi ao local acompanhada de amigos e estava a dois camarotes do atleta. Foi quando ele a viu. “Ele mandou um segurança me chamar, falamos rapidamente. Mas na hora nem sabia que ele era ele, porque eram muitos jamaicanos parecidos”, diz. Jady não quis contar detalhes do seu encontro com Bolt. “Não foi nada demais. Foi normal”, diz ela, que não quis dizer se na cama Bolt também é veloz: "Prefiro não falar sobre isso para não me complicar. Como eu disse, foi normal".

Entre as fotos que vazaram aparece uma em que Jady estaria recebendo 100 euros. “De jeito nenhum, ele não me pagou nada. Não recebi dinheiro”, garante ela, que pediu a Bolt para tirar fotos com ele: "Agora ele vai querer me matar. Deve estar pensando: porque fui fazer fotos com essa menina?".

Jady diz que a repercussão das fotos não foi boa para ela. "É muito negativa. Nunca quis ser famosa, estou morta de vergonha", afirma.

Casada com traficante morto

Jady, no entanto, já havia sido notícia. Mas policial. Jady foi casada e é mãe de dois filhos de Douglas Donato Pereira, o Diná Terror, ex-chefe do tráfico no Morro Faz Quem Quer. Ele foi morto em março deste ano.

Publicidade
Publicidade