Sexta-feira, 20 de Setembro de 2019
DANÇA

Estrelas do balé russo mostram excelência em apresentação em Manaus

Turnê internacional do espetáculo ‘As joias do ballet russo’ chega a Manaus no dia 9 de agosto



b0101-11R_B8420147-78ED-481E-8F30-0494FB25FE47.jpg Divulgação
01/08/2019 às 15:00

Um dos mais famosos e conceituados do mundo, o balé russo foi o berço de talentos como Anna Pavlova, Vaslav Nijinski, Rudolf Nureyev e Mikhail Baryshnikov, que também contribuíram, cada um a seu tempo, com a disseminação de uma tradição de mais de três séculos. Uma amostra dessa riqueza cultural poderá ser conferida em Manaus no dia 9 de agosto, quando chega à cidade a turnê internacional do espetáculo “As joias do ballet russo”. A sessão única acontece na plenária do Studio 5 Centro de Convenções, a partir das 21h30, e as entradas podem ser adquiridas pelo site da Alô Ingressos.

O espetáculo inédito reúne alguns dos mais importantes solistas dos teatros Mikhailovsky, Stanislavsky, Mariinsky e Bolshoi. Entre os destaques está Alexander Volchkov, primeiro bailarino do Bolshoi e membro da companhia mais famosa do segmento há 20 anos.

Além dele, há outros sete solistas reconhecidos pela excelência artística: do Mikhailovsky, as estrelas Oxana Bondarev e Mikhail Venshchikov; do Mariinsky, o solista Boris Zhurilov; do Bayerisches Staatsballett (Alemanha), a bailarina Tatyana Tiliguzova, que será solista do Bolshoi a partir da próxima temporada. Completam o grupo os bailarinos do Stanislavsky, Natalia Ledovskaya, Pukhov Mikhail e Maksim Marinin.

Segundo o bailarino e coordenador do núcleo de dança do Liceu Claudio Santoro, Baldoino Leite, o balé russo se destaca por ter uma metodologia diferente de outras escolas tradicionais, como a Royal Academy of Dance, da Inglaterra.

“Na Rússia, eles seguem o método Vaganova, que se diferencia em termos de espacialidade e posições dos braços, que são apenas três, em comparação com outras escolas que trabalham com cinco posições. Tudo isso acaba facilitando a disseminação da técnica”, explica.

Baldoino conta que as disciplinas de dança e balé clássico ministradas no Claudio Santoro se baseiam em parte na escola russa. “Acreditamos que ela se apresenta de maneira mais fácil para o aluno, mas em decorrência da formação dos nossos professores, que é bem diversa, acabamos mesclando os métodos Vaganova e da Royal, o que só contribui para o crescimento dos alunos”.

Apesar de ensinar o método inglês na escola que fundou e administra em Manaus, o bailarino Álvaro Gonçalves também ressalta a influência mundial da tradição russa. “Em todo o mundo, é comum ouvir falar sobre o balé russo e de sua importância tanto em termos técnicos como coreográficos. A fama dele transcendeu os cenários locais para brilhar em diversos lugares, exercendo grande influência sobre companhias locais”, afirma.

“Como professor e diretor de uma escola de balé, vejo a dedicação e empenho de cada estudante ao ter como referência o balé russo, que hoje inspira não somente os bailarinos mas todos os amantes dessa linda arte”.

Trechos

No repertório de “As joias do ballet russo” estarão trechos da obra “Corsário” – baseada no poema de Lord Byron, com música de Adolphe Adam e coreografias de Marius Petipa – além das clássicas “O Quebra-Nozes” e “Lago dos Cisnes”, ambas de Tchaikovsky. Esta última talvez seja a peça de balé mais popular, e conta a história de um jovem que se apaixona por uma rainha transformada em cisne por um feiticeiro malvado.

Serviço

o quê: As Joias do Ballet Russo
quando: Dia 9 de agosto, às 21h30
onde: Plenária do Studio 5 (Distrito Industrial)
quanto: R$ 100 a R$ 150 (valores de meia), na bilheteria da casa e pelo site www.aloingressos .com.br

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.