Publicidade
Entretenimento
Vida

Evento que reúne artistas da América Latina transformará Manaus em capital do grafite

A Black & White Mostra de Grafite, evento promovido pelo coletivo manauara Febre Urbana, acontece nos próximos dias 27 e 28 17/02/2016 às 12:03
Show 1
Realizado desde 2011, a quinta edição do evento promete ser um divisor de águas na cena da arte urbana em Manaus
Felipe Wanderley Manaus (AM)

Colocar Manaus de vez na cena do grafite brasileiro, promover o intercâmbio entre grafiteiros do Brasil e da América Latina e, de quebra, colorir, com a inspiração peculiar desses artistas urbanos, um quarteirão inteiro do bairro do Armando Mendes, na Zona Leste de Manaus, com a temática dos Jogos Olímpicos.

Esta é a nobre missão da Black & White Mostra de Grafite, evento promovido pelo coletivo manauara Febre Urbana com patrocínio do Edital Conexões Culturais, da Fundação de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult). Realizado desde 2011, a quinta edição do evento promete ser um divisor de águas na cena da arte urbana em Manaus.

Isso porque a Mostra, que acontece nos dias 27 e 28 de fevereiro, na rua 42 do Bairro do Mutirão, na Zona Leste, terá, pela primeira vez a participação de artistas de Amazonas, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pará, Maranhão, Chile e Venezuela, segundo explica um dos organizadores e Febre Urbana, Jarbas Lobão.

“Teremos um total de 35 artistas, juntando com os locais. Pela primeira vez teremos artistas de fora do Brasil e muito mais artistas brasileiros do que nas edições anteriores. Então essa edição com certeza vai superar as demais”, adianta Lobão, que destaca o papel de Manaus no crescimento do grafite na região Norte do País.

“Acredito que talvez essa seja a vez de a gente entrar e se firmar na cena nacional, como capital do norte que tem uma cultura e uma cena forte de grafite”, diz ele, destacando a importância do intercâmbio para os iniciantes na arte dos muros e calculando um público geral de cerca mil pessoas nos dos dias do evento.

Ed-mun e Shero, de Belo Horizonte, Nick, Tikka e Truff, de São Paulo, Drika, do Pará, Ed Brazuca, do Maranhão, além de Norman e Koke, da Venezuela, e Nadas, do Chile, são alguns dos grafiteiros de fora que devem marcar presença na Mostra, que conta ainda com apresentações musicais e o comando das picapes por MC Fino.

Esporte e gratite

Com o tema alusivo aos Jogos Olímpicos – Manaus receberá seis jogos do torneio olímpico de futebol neste ano –, a 5ª Mostra de Grafite Black & White unirá o trabalho de 35 grafiteiros de estilos e abordagens por vezes totalmente diferentes.

“Na edição anterior o tema foi a Consciência Negra e todos os artistas pintaram algo alusivo. Este ano serão os Jogos Olímpicos e todos os grafiteiros convidados seguirão o tema, com total liberdade de expressão dentro desse contexto”, explicou Lamartine Silva, Negro Lamar, que também coordena o evento.

Mas o que o esporte tem a ver com o hip-hop, berço originário do grafite? Além da liberdade dos artistas de tratar  de quaisquer que forem os temas de seu interesse, há uma explicação ainda mais convincente, conta Jarbas Lobão. Segundo ele, tanto o esporte quanto o movimento hip-hop tem a mesma vocação social.

“Como o grafite, o esporte também pode salvar, pode dar uma carreira brilhante para jovens da periferia, e também resgata o espírito, também prega esse resgate”, diz Jarbas.

Segundo o produtor cultural, como no ano de 2015 não houve a mostra, realizada pelo Febre Uebana desde 2011, neste ano o coletivo pretende fazer duas versões do evento: uma neste mês, e outra no segundo semestra.

Portanto, aos membros da cena hip-hip, amantes de cultura urbana e outros interessados em geral, preparem-se porque o ano é de correr na quebrada!

Publicidade
Publicidade