Publicidade
Entretenimento
Vida

Ex-integrante do CDA, Gentil Neto agora compõe elenco do grupo Raça, de São Paulo

Nas próximas semanas, o Raça vai percorrer 10 cidades de SP para apresentar “Novos Ventos”, de Roseli Rodrigues e “Traços e linhas”, de Jhean Alex 02/02/2016 às 20:12
Show 1
O bailarino começa 2016 com o pé na estrada ao lado do Grupo Raça, companhia paulista com mais de 30 anos de atuação
Lídia Ferreira Manaus (AM)

Após consolidar seu currículo profissional ao trabalhar com grandes nomes da dança no Corpo de Dança do Amazonas (CDA), o amazonense Gentil Neto agora conquista novos palcos no sudeste do País. Depois do Rio de Janeiro, o bailarino começa 2016 com o pé na estrada ao lado do Grupo Raça, companhia paulista com mais de 30 anos de atuação.

Nas próximas semanas, o Raça vai percorrer 10 cidades de São Paulo para apresentar “Novos Ventos”, de Roseli Rodrigues e “Traços e linhas”, de Jhean Alex. A turnê faz parte do circuito Sesc. “A agenda ainda não está fechada, ainda devemos apresentar fora do Estado”.

Essa facilidade de percorrer outras cidades para se apresentar, assim como os intercâmbios profissionais, estão entre as principais diferenças da experiência em atuar no eixo do sudeste. Assim que entrou no grupo Raça, no meio do ano de 2015, Gentil já percorreu outras cidades com “Tango sob dois olhares” também de Roseli Rodrigues. “No CDA também  tive a oportunidade de dançar fora do Estado, mas de fato  São Paulo é uma cidade central, onde tudo acontece primeiro, todo dia tem algo novo”.

A linguagem artística também é um desafio. Enquanto o CDA é voltado ao balé conteporâneo, o Raça mistura este estilo ao Jazz. “A dinâmica de trabalho é diferente, tudo é muito rápido, o corpo reage de outra forma, mas tive uma ótima base no CDA e isso ajuda”.

Na companhia amazonense, o bailarino trabalhou com nomes como os diretores e coreógrafos amazonenses Getúlio Lima e Monique Andrade, além de Mario Nascimento e Jorge Garcia, bem como se apresentou em trabalhos de coreógrafos como Ivonice Satie, Sandro Borelli, Anselmo Zolla, Olaf Schimidt. “No CDA foi onde eu aprendi a  ser   profissional, saí realmente um bailarino”, diz.

Antes de chegar a São Paulo, Gentil Neto ainda passou pela DAMZ Cia de Dança, no Rio Janeiro. Entre os destaques da experiência de um ano por lá está o espetáculo “Puck”, uma releitura do clássico de William Shakespeare, “Sonho de uma noite de verão”. “Fui solista e ficamos um mês em temporada no Teatro Leblon. Estão sendo ótimas experiências e espero ter mais oportunidades este ano”.  

Nas páginas da Vogue em ensaio para  J.R Duran

Entre os trabalhos mais recentes do bailarino Gentil Neto está o ensaio fotográfico para revista Vogue, versão brasileira footwear. O fotógrafo J. R Duran se inspirou na dança para mostrar a coleção de inverno para os pés. “Dos modelos retrô inspirados nas sapatilhas de balé, conheça os acessórios - desejos da estação” é a chamada na capa. “Alguns bailarinos do Raça fizeram o teste e eu estive entre os selecionados. Mesmo como codjuvante, não deixa de ser a Vogue, uma das revistas mais prestigiadas do mundo”, diz Gentil.

Publicidade
Publicidade