Publicidade
Entretenimento
Vida

Exposição em Manaus mostra objetos e cenários que fazem parte da história da Justiça do AM

Armas, livros, vídeos e mobiliários de época compõem exposição “Do Crime ao Castigo”, aberto ao público a partir de 11 de novembro no Palácio da Justiça 07/11/2015 às 15:51
Show 1
Mobiliário de época compõe a mostra, que é dividida em cinco áreas temáticas
ACRITICA.COM ---

Com um acervo didático e histórico, que incluem armas, livros, vídeos e mobiliário, a exposição “Do Crime ao Castigo” abre ao público na próxima terça-feira (11), no Palácio da Justiça.

O projeto da mostra, inicialmente concebida pelo juiz Adalberto Carim Antônio e inaugurado em 30 de junho de 2014, nas dependências do Tribunal de Justiça do Amazonas, está de cara nova e passou para a responsabilidade da Secretaria de Estado do Amazonas, numa iniciativa da presidente do Tribunal de Justiça, desembargadora Graça Figueiredo.

“O Museu do Crime é um arquivo histórico de fatos e trajetória da Justiça no Amazonas. Ao pousar os olhos nesse acervo, o visitante vai aprender muito sobre os delitos que tiverem repercussão na sociedade e seus protagonistas. Que sirva de aprendizado e preservação da memória do Judiciário”, disse a desembargadora.

A exposição foi reformulada sob a curadoria da museóloga Vera Ferreira e ganhou mais peças, vídeos e tem cunho educativo e cultural. fruto de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Cultura e o Tribunal de Justiça do Amazonas.

“Ficamos muito satisfeitos com a possibilidade de abrir este acervo tão relevante ao público, especialmente sobre um assunto que é de interesse de todos, como a Justiça”, defende o governador do Amazonas, José Melo.

Decorrer

Dividida em cinco áreas temáticas - Painel “Entre o Direito e a Justiça”, Sala dos Crimes, Tribunal do Júri, Sala Secreta e Sala das Penas – a exposição é um passeio pela forma como a Justiça é aplicada. E mais: ainda mostra casos emblemáticos do Amazonas, como o Caso Delmo.

O visitante poderá, por exemplo, conhecer objetos que fizeram parte de processos e foram usados para cometer crimes: armas, motosserra, duplicadora de DVD, caça-níquel, balaclavas e máscaras na Sala dos Crimes. E aprender as diferenças entre crime e contravenção, entre crime culposo e crime doloso, as etapas do Iter Criminis (os caminhos do crime) e do Persecutio Criminis (os caminhos da Justiça ou a “persecução criminal”).

Um painel evidencia a Cena do Crime e a importância da Ciência Forense para as investigações.  Tem também um painel fotográfico que relata o Caso Delmo, crime ocorrido em Manaus em 1954, que teve repercussão nacional.

“É de suma importância esse trabalho que revela detalhes de como se processa a Justiça, isso é mais que cultura, é o registro educativo da nossa história”, explica o secretário de Cultura do Amazonas, Robério Braga.

Com mobiliário de época e reconstituindo os antigos tribunais do júri, a Sala Tribunal do Júri mostra na prática como funciona o Tribunal do Júri, a função de cada participante e a ordem do julgamento. Em seguida, o visitante entra na Sala Secreta, onde os jurados do Conselho de Sentença, decidem se o réu do processo em pauta, é culpado ou inocente. Um painel relata os Títulos e Capítulos do Código Penal Brasileiro.

Uma instalação mostra quais os tipo de penas os criminosos recebem. Em uma cela de ferro, vários discos mostram os tipos de penas no Brasil e regimes prisionais, os tipos de penas ao longo da história e métodos de execução, como a forca, a fogueira, o touro de bronze, a crucificação, a tapocrifação e outros.

Como proceder

A exposição está aberta ao público em geral de terça a sexta-feira, das 9h às 16h, com entrada franca e guia no local para a visitação. E domingo abre das 9h às 13h.

Serviço

O quê: Exposição “Do Crime ao Castigo”
Quando: a partir do dia 11/11, das 9h às 16h
Onde: Palácio da Justiça (Av. Eduardo Ribeiro, 901, Centro)

Publicidade
Publicidade