Publicidade
Entretenimento
Internet

Famílias se rendem às vantagens da TV online e dispensam canais fechados

Na casa de Isabela Alves, 33, por exemplo, os canais abertos foram “banidos” há dois anos, enquanto os fechados perderam espaço para a Netflix há oito meses. 24/07/2016 às 10:15 - Atualizado em 25/07/2016 às 09:44
Show 1111276
Os irmãos Carlos Arthur, 8, Enzo José, 7, e Bernado Henrique, 4, têm um perfil infantil exclusivo no serviço de streaming da família. (Euzivaldo Queiroz)
Natália Caplan Manaus (AM)

Quando a televisão “nasceu”, na década de 1920, ela era monocromática e muito cara. Com o passar do tempo e a evolução da tecnologia, ganhou cores, controle remoto e até versão 3D, com imagens em alta definição que fazem o telespectador se sentir dentro da cena. Agora, a tendência é assistir filmes e séries online, seja pago ou de graça. Basta ter Internet e escolher entre inúmeras opções de streaming disponíveis. Resultado: uma em cada dez pessoas que assina o serviço cancela a TV a cabo.

Na casa de Isabela Alves, 33, por exemplo, os canais abertos foram “banidos” há dois anos, enquanto os fechados perderam espaço para a Netflix há oito meses. A lista de desenhos e seriados faz a alegria dos quatro filhos da enfermeira obstétrica — Maria Beatriz, 14, Carlos Arthur, 8, Enzo José, 7, e Bernado Henrique, 4 — que se diz mais tranquila por ter controle sobre o que a prole assiste.

“Como tenho filhos pequenos e uma adolescente, fica aquela preocupação quanto às cenas e programações transmitidas, principalmente, em relação à violência. A maior vantagem é a questão da escolha. Posso selecionar a opção ‘crianças’ e, então, deixá-los assistindo enquanto faço minhas tarefas despreocupada”, afirma, ao citar outro benefício. “Temos a comodidade de assistir pelo celular ou tablet em qualquer lugar. A Beatriz sempre assiste às séries dela no celular”, completa.

Segundo a profissional de saúde, o único problema de optar pelo streaming é depender da rede de Internet em Manaus. Ela, inclusive, tentou cancelar a TV a cabo e conservar apenas o wifi, porém, foi obrigada a manter o pacote básico de canais para garantir o serviço — mesmo que ninguém mais assista. Todavia, garante ser mais vantajoso conectar o computador no televisor do que pagar por pacotes extras.

“Contratamos um pacote de Internet e não recebemos a velocidade acertada ou, muitas vezes, ficamos sem sinal”, reclama. “Na TV a cabo preciso assinar além do básico (os pacotes específicos para certos canais são caríssimos) e não posso escolher assistir algo no meu horário livre. Na Netflix tem um arquivo gigante de filmes, séries e documentários a um preço super acessível para eu assistir quando quiser, em três aparelhos diferentes”, enfatiza.

Sem propagandas ou ‘limites’ internacionais

Para Ana Isabelle Coelho, 21, não depender de uma grade de horário é o grande trunfo do streaming. Mas a melhor parte, na opinião dela, é não ter interrupções como comerciais e horário eleitoral. Isso, declarou, também é uma vantagem quando se tem crianças. No caso da estudante de odontologia, são quatro sobrinhos: Sarah Valentina, 2, e Victor Manoel, 5, em Manaus; Gabriela, 7, e Juan Matheus, 4, em Orlando (EUA).

“Eu posso escolher o que assistir, pausar e continuar quando puder. Sou livre pra buscar informações sobre política em fontes confiáveis, sem ser influenciada por nenhuma emissora. Outra vantagem é que meus sobrinhos crescem com uma infância livre de consumismo. Sem propagandas, eles pedem os brinquedos que realmente se interessam, não porque viram em uma propaganda”, declara.

Semelhantemente a Isabela, a universitária lamenta que o sistema online apresente falhas na capital amazonense e não conseguiu cancelar a TV a cabo. De férias nos Estados Unidos, ela aproveita para ensinar português aos sobrinhos norte-americanos com ajuda do streaming. “Posso acessar de qualquer lugar, diferentemente da TV a cabo, que não assisto há um ano. Mas foi tão difícil cancelar, que desistimos e mantivemos, sem usar”, conclui.

Mais opções de streaming

SNAG FILMS - tem mais de dez mil documentários independentes, com produções elogiadas difíceis de achar em DVD/Blu-Ray. Ainda não tem versão brasileira.

Valor: Gratuito.

CRACKLE - filmes que vão dos populares aos cults — muitos têm resolução baixa (480p) — e anúncios antes das exibições. Roda em consoles de videogame. 

CRUNCHYROLL - mais de 25 mil episódios de animes novos e antigos – muitos com transmissão simultânea em relação ao Japão. Boa parte não possui legendas em português.

Valor: a partir de US$ 4,99.

MUBI - acervo voltado para produções independentes, com títulos de diversos países. Não possui legendas em português. Valor: a partir de US$ 4,99.

YOUTUBE - também possui um serviço de aluguel de filmes, a maior parte deles em HD, com legendas em português. Vários estúdios disponibilizam filmes gratuitos.

Valor: de gratuito até R$ 59.

A CRÍTICA PLAY - programação do canal A Crítica de Manaus (AM), com conteúdo exclusivo para usuários.

Valor: gratuito.

‘Sériemaníacos’

Uma pesquisa realizada pela Ericsson, em 2015, revelou que 87% dos usuários de serviços de streaming, como Netflix e Amazon Video, assistem a vários episódios em sequência, pelo menos, uma vez por semana. Na opinião dos pesquisadores, as chamadas “maratonas” são mais fáceis de realizar neste sistema on demand, pois as temporadas são liberadas de uma vez e não semanalmente.

Publicidade
Publicidade