Publicidade
Entretenimento
Critica filme

Fãs do “ Mágico de OZ” vão se divertir com filme que conta origem da história

Filme que mostra a origem do célebre mágico do cinema é divertido para quem é fã da história original 11/03/2013 às 10:39
Show 1
Oz: ' Mágico e Poderoso' ,de Sam Raimi
Mellanie Hasimoto Manaus

 Trazer de volta o interesse do público por um clássico filmado em 1939 não é fácil. Mais difícil ainda deve ser conseguir novos admiradores – em plena era de Harry Potters e Crepúsculos – para a obra de L. Frank Baum. Mas “Oz: Mágico e Poderoso”, que estreou este final de semana nos cinemas da cidade, até que consegue cumprir bem o papel. Os efeitos visuais que enchem os olhos dos ávidos por CGI – às vezes, em exagero – são amenizados por um elenco carismático e o roteiro que conta as origens do poderoso mágico.

“Oz: Mágico e Poderoso” conta a história do charlatão Oscar Diggs (o fraquinho James Franco), um inexpressivo mágico de circo,  de ética duvidosa, e que vai embora do Kansas a bordo de seu balão após se meter em uma confusão. Como no filme “O Mágico de Oz”, de 1939, o personagem principal vai parar na Terra de Oz após entrar no meio de um tornado. E, ali, a aventura de sua vida começa.

Carisma


Ao chegar na terra que leva seu nome, Oz encontra com a bela bruxa  Theodora, interpretada por Mila Kunis. Ela lhe dá a notícia de que ele é o personagem de uma profecia após vê-lo realizar alguns truques de mágica bem bobos. Kunis dá ao personagem um tom dócil e inocente que, mais para frente, serà completamente esquecido pelo espectador, quando ela se transforma na verdadeira Bruxa Malvada do Oeste.

A belíssima Rachel Weisz, no papel da bruxa Evanora, merece destaque por interpretar a personagem. Aos 43 anos, a atriz - que teve de fazer teste para conseguir o papel - dá o tom exato da maldade para a bruxa malvada. O oposto de Michelle Williams, na pele de Glinda. Bem sem sal, e com uma expressão que parece não mudar nunca, a atriz deixa a desejar no quesito performance.

A bonequinha de porcelana e o macaco alado Finley, que se juntam a Oz durante sua “missão” também são boas adições à história.

Efeitos especiais

Dirigido por Sam Raimi, o longa tem 130 minutos – um pouco extenso demais para o público infantil. Entretanto, os efeitos visuais aliados ao 3D são o que mais chama a atenção: flocos de neve caindo, fadinhas voando para fora da tela e muitos outros elementos foram usados para atrair essa parcela do público.

Com roteiro escrito pela dupla David Lindsay-Abaire e Mitchell Kapner, o filme é considerado original, já que L. Frank Baum não escreveu nada relacionado às origens do personagem título, e os roteiristas apenas se basearam em sua obra. Raimi reforçou que a história de “Oz: Mágico e Poderoso” se passa 20 anos antes da história contada no longa de 1939.

Entretanto, a película moderna traz diversas similaridades com a original: o começo do filme é todo em sépia, para depois, ao entrar na Terra de Oz, ganhar cor; há menções ao Leão e ao Espantalho. Uma boa diversão para quem é fã de um dos contos de fadas mais icônicos do mundo.

Publicidade
Publicidade