Publicidade
Entretenimento
Vida

Fecani 2015 é cancelado por falta de verba, diz Airma

Associação que organiza o festival afirma que só foi repassado um terço do que foi prometido pelo Governo do Estado. Em 30 anos de tradição, essa é a primeira vez que o festival é cancelado 07/08/2015 às 20:04
Show 1
Depois de 30 anos ininterruptos, essa é a primeira vez que o festival é cancelado por falta de verbas
alexandre pequeno Manaus (AM)

Após 30 anos initerruptos de apresentações e já consolidado com um dos principais festivais de cultura do Amazonas, a edição deste ano do Festival da Canção de Itacoatiara (Fecani) foi cancelada. A decisão foi tomada na tarde de hoje (7) pela Associação dos Itacoatiarenses Residentes em Manaus (Airma), que é a organizadora do festival.

O motivo, afirmou o coordenador geral do evento, Manolo Olímpio, é o corte no repasse das verbas concedidas pelo Governo do Estado. "Não tem dinheiro, não tem festival”, disse.

Manolo Olímpio disse que o projeto já estava todo traçado, porém sem o repasse total da verba, optou-se pelo cancelamento do evento. “Não recebemos o que o governo prometeu, foi repassado um terço que havia sido prometido anteriormente, não tem condições de fazermos o evento sem dinheiro. Não temos outras fontes de recursos, pensamos até na área federal, mas não conseguimos", ressaltou.

“Temos vinte e poucos dias ainda, dá pra fazer, mas sem um documento oficial confirmando o evento. Estou fora, pois sei que isso não vai acontecer”, completou o coordenador.

Na última segunda-feira (3), a Associação já havia divulgado o cancelamento das oficinas que estavam vinculadas ao Fecani, por motivos financeiros e estruturais.

O Fecani estava programado pra acontecer nos dias 3, 4, 5 e 6 de setembro no Centro de Eventos Vereadora Juracema Holanda, em Itacoatiara-AM (a 177 km de Manaus). As duas primeiras atrações já haviam sido anunciadas.

A cantora de 'funk' Ludmilla iria se apresentar na abertura do evento e o cantor Alceu Valença se apresentaria no terceiro dia do festival.

"A gente sente uma revolta muito grande, é uma revolta total, minhas filhas foram até às lágrimas. Aqui na minha casa todos são oriundos de Itacoatiara e todos os anos nós prestigiamos o evento em grupos, estamos revoltados pois em 30 anos, esse seria o 31º ano, nunca o Fecani deixou de ser efetivado", contou Eduardo Alcântara. Ele disse que esperava ver a sua esposa, Janete Catunda de Alcântara, se apresentar no festival.

A reportagem entrou em contato com a assessoria da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), que informou que ira em breve irá prestar esclarecimentos sobre o cancelamento.

Publicidade
Publicidade