Publicidade
Entretenimento
Vida

Festa 'Red Zone' visa celebrar memorial de casas de rock antigas da capital amazonense

Segundo Douglas Mandrake, principal organizador da Red Zone, o desejo maior é celebrar as grandes casas noturnas de rock de Manaus, onde muitos músicos locais se conheceram e começaram suas carreiras 02/04/2013 às 09:46
Show 1
A banda Billy The Kid comandará o som da festa
Laynna Feitoza Manaus, AM

Reavivar a memória das casas de rock que marcaram a década de 80 em Manaus é a premissa da 1ª edição da Red Zone. Organizado pela Mandrake Produções, o evento acontecerá no dia 19 de abril a partir das 22h, no Nativos Bar Café, localizado na Rua Leonardo Malcher, 1363, bairro Centro.

Segundo Douglas Mandrake, principal organizador da Red Zone, o desejo maior é celebrar as grandes casas noturnas de rock de Manaus, onde muitos músicos locais se conheceram e começaram suas carreiras. Ainda de acordo com ele, as casas de show que fizeram parte da história de muitos artistas do rock local na época oitentista foram a própria Red Zone – mesmo nome da festa -, a Starship, Spectrum e Casablanca.

No comando da diversão da noite, haverá a banda Billy The Kid e o próprio Douglas Mandrake nas pick-ups. “A festa não terá só a banda, mas sim o DJ. É uma festa dançante que terá uma pista de dança e iluminação adequada”, afirmou Mandrake. No repertório da banda nomes como Peter Murphy, The Mission, Ira, Ojeriza, Legião Urbana, Capital Inicial, Oingo Boingo, Plebe Rude, The Cure, The Smiths e Ramones darão o tom da festa.

A Red Zone será dividida em dois momentos, conforme Douglas. Serão seis horas de animação, onde, a partir das 22h, o DJ tocará músicas de Morrissey, ACD/DC, Kiss, New Order, Depeche Mode, e outros. A partir das 00h até às 4h, o palco será assumido pela banda Billy The Kid. “A ideia é promover a Red Zone anualmente”, complementou Douglas.

Criada com a intenção de levar clássicos do rock dos anos 50, 60, 70, 80 e 90, a Billy The Kid, composta por Fábio Ramos (vocal e guitarra-base), Edu Ramires (guitarra-solo, backing vocal e voz), Klinger Asma (contrabaixo) e Wilson Júnior (bateria). De acordo com o vocalista Fábio Ramos, a ideia de homenagear as casas e bandas de rock oitentistas partiu dele e de Douglas Mandrake.

“Observei as bandas locais que faziam os tributos as bandas dos anos 80 e 90 raramente faziam ou fazem um cover decente. Fui em muitos desses "tributos", para banda nacionais com Barão Vermelho, Engenheiros do Havaí, Biquíni Cavadão, Cazuza e por aí vai. Não satisfeito, falei com os amigos que tocam comigo na Billy The Kid, e propus a ideia de fazermos um tributos as bandas dos anos 80, não só as nacionais, mas também as internacionais, como Joy Division, The Cure, entre outros”, assegurou o vocal.  

A ideia da banda é intercalar o repertório entre músicas nacionais e internacionais, com momentos voltados separadamente para as duas linhagens. Os ingressos serão vendidos a R$ 10 na própria bilheteria da Nativos Bar Café, que possui capacidade de público estimada em 200 pessoas.

Publicidade
Publicidade