Quarta-feira, 18 de Setembro de 2019
Vida

Festival Amazonas de Música mostra diversidade

Samba, sertanejo, MPB, pop e até mesmo um ‘hip hop amazônico’ estavam entre os gêneros das 29 canções concorrentes



1.jpg Show da Sandra de Sá no Festival Amazonas de Música
29/09/2013 às 19:08

A Música Popular Amazonense – denominada como MPA – mostrou suas várias facetas durante a 4ª edição do Festival Amazonas de Música (FAM), que encerra nesta terça-feira (1º) com show de Sidney Rezende e apresentação dos interpretes finalistas, no palco do Teatro Amazonas, no Centro de Manaus. O evento – realizado de 25 de setembro a 1º de outubro –, consagrou o cantor Cileno como o grande vencedor e brindou o público com shows de qualidade, como o realizado por Sandra de Sá, que quebrou o protocolo e cantou no meio da plateia.

Samba, sertanejo, MPB, pop e até mesmo um ‘hip hop amazônico’ estavam entre os gêneros das 29 canções concorrentes. No último sábado (28), as 15 finalistas foram interpretadas na arena do Bumbódromo, em Parintins (distante 325 quilômetros de Manaus). No coliseu dos bumbás Caprichoso e Garantido, o vai e vem de grandes alegorias cedeu lugar ao trânsito de aproximadamente 4500 pessoas, que ocuparam as arquibancadas e a plateia no centro da arena. “O importante é trazer o brilho de nossa arte com a arte de quem nasceu para brilhar”, disse Lili Andrade se referindo ao público presente.

“A princípio todos os festivais vão circular em todos os municípios do interior do Estado. Estamos interiorizando nossos festivais. Começamos com o Festival Amazonas de Dança, em Novo Airão; estaremos em Presidente Figueiredo com o Festival de Rock; em Itacoatiara com o Festival de Teatro e em vários com o  de cinema. O objetivo é que tenhamos intercâmbio entre artistas nacionais, de Manaus e do interior”, revela a secretaria executiva de cultura do Amazonas, Elizabeth Cantanhede.    

Além de multifacetada, a coletânea de músicas finalistas surpreendeu pela qualidade técnica. “Não sei qual é o momento mais difícil. Se é esse momento da espera para saber quem venceu, ou se é participar da comissão julgadora com uma responsabilidade incrível, com produções grandiosas e músicas lindas. Estou muito feliz de ter participado deste festival com um nível tal alto”, revelou Eliana Printes, que fez parte do corpo de jurados.

Revelação de talentos

A opinião da cantora é similar a de outros membros do júri, como o radialista Ney Amazonas:    “Fiquei muito feliz. Temos artistas de qualidade nos interiores e trazer esse festival é importante. Precisamos dar apoio a nossa produção cultural”.

O evento serviu para revelar talentos de Parintins, como a cantora Daise Mendes, que fez uma apresentação marcante e arrancou aplausos do público durante a final. “Com o festival podemos interagir e divulgar nosso trabalho. Lançamos o primeiro CD das Icamiabas (grupo do qual Daise faz parte) neste ano. Com ele em mãos podemos divulgar nosso trabalho, trocar experiências. Estar entre outros músicos consagrados nos engrandece”, comentou antes de subir ao palco para cantar a música “Salinas”.     

As finalistas

Entre as canções que concorreram durante o evento algumas falaram sobre o amor, sobre o regionalismo e sobre a própria arte da música. “A música é pura inspiração. É algo inerente ao ser humano. Falar do canto acaba sendo natural”, explica Salomão Rossy.

A disputa entre as finalistas foi acirrada e de extrema qualidade. Algumas interpretações, embora não premiadas, ganharam destaque. Entre elas a da cantora Ketley Nascimento (cantando “Voz”); Valdo Cavalcante (que dividiu a composição de “Afora” com Cecilia Siqueira); Daniela Nascimento (que cantou “Alarde”, de Lívia Mendes); Jander Manauara (que em versos contemporâneos mostrou junto com o DJ Carapanã, por meio do hip hop “Amazônia Madeireira”, que “temos uma pegada urbana e estamos reciclando nosso pensamento”, quando de trata de influências musicais).

As campeãs

Melhor Canção 1º lugar – “Novenário” (Cileno)

Melhor Canção 2º lugar – “Lendário Calendário Maia” (Gil Valente)

Melhor Canção  3º lugar – “Resgate” (Afonso Toscano)

Melhor interprete – Lily Andrade (cantando “Bendita Música”)

Melhor letra – “Lendário Calendário Maia” (Gil Valente)

Melhor Canção  voto popular – Por do sol (de Tadeu Garcia, interpretada por Ciriane Souza)

Um DVD com a apresentação das 15 finalistas foi gravado durante o festival e deve ser lançado até o começo de 2014. Após a disputa, em Parintins, a cantora Sandra de Sá contagiou o público com um show dançante e descontraído. Ela chegou a sentar no palco, brincar com o clima da cidade e a andar e cantar no meio do povo. Ela destacou em vários momentos a importância de termos fé e alegrei.

BLOG - Cileno

“O sentimento é de missão cumprida, de um sonho concretizado. Não que eu vá parar de cantar, ou de participar de festival, mas para mim cheguei ao ponto que queria: botar no meu currículo um primeiro lugar, depois de 35 anos de carreira. Era o que faltava. Parintins nunca ficará esquecida na minha memória. Cosme e Damião me abençoou”, disse Cileno que interpretou uma canção sobre a religiosidade.



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.