Publicidade
Entretenimento
'Órfãos do Eldorado'

Filme baseado em obra do amazonense Milton Hatoum estreia nos cinemas

Adaptação de "Órfãos do Eldorado" chega a Manaus quatro meses após estreia nacional 17/03/2016 às 16:46
Jony Clay Borges Manaus (AM)

Baseado no romance de Milton Hatoum, o longa-metragem “Órfãos do Eldorado” chega nesta quinta-feira (17) aos cinemas de Manaus trazendo Daniel de Oliveira como Arminto Cordovil, um homem perdido entre fantasmas do passado e entre as duas paixões de sua vida: Florita, mulher de origem indígena que o criou, e Dinaura, uma cantora misteriosa. A primeira delas é vivida por Dira Paes, que já conhecia a personagem das páginas do livro. Mas Florita, conta a atriz, cresceu na transição para o cinema.

“No filme ela ganha novos rumos. Eu diria que ela representa o feminino dentre desse universo do Milton Hatoum, mas também é um feminino que vem degradado, por não ter um amor bem resolvido, por não pertencer a uma classe da qual o Arminto faz parte, por não ter um papel reconhecido naquela sociedade. Ela é como uma bastarda”, explica a atriz, em entrevista por telefone à reportagem.

Entre quatro paredes

As filmagens de “Órfãos do Eldorado” foram feitas em Belém e seus arredores, no Pará, e no arquipélago de Anavilhanas, no Amazonas. Dira, no entanto, não chegou a vir ao Estado, pois sua participação se concentrou em Icoaraci, subúrbio da capital paraense onde fica a casa que foi locação para a residência da família Cordovil, na qual Arminto cresceu ao lado de Florita.

“Ela é confinada a essa casa, que também é uma personagem dentro da trama. Florita faz parte dessa prisão em que os fantasmas estão dentro da nossa cabeça, e representa o confinamento, a prisão dos sentimentos”, declara a atriz, lembrando das filmagens no edifício típico da Belle Époque paraense. “É uma casa deslumbrante, e que representa essa personagem. Florita e a casa são como a mesma pessoa”.

Além da casa, Daniel de Oliveira é a única figura com que Dira divide a cena no filme. A sintonia dos atores, segundo ela, veio não só da preparação que tiveram com o reconhecido mestre de butô (teatro japonês), Tadashi Endo, como ainda da afinidade cênica dos dois. “Já tínhamos feito ‘A festa da Menina Morta’, no cinema, e depois ‘O rebu’, na televisão. Daniel é um parceiro que, além da beleza, tem um talento extraordinário. E ele imprime esse talento de forma incrível. Acho que ele é a ‘assinatura’ do filme”, elogia.

Confluência

Dira foi uma das primeiras a entrar no projeto de “Órfãos do Eldorado”, graças a um afortunado encontro no Rio de Janeiro, onde a atriz vive hoje. Para ela, que diz não acreditar em coincidências, a ocasião que a colocou lado a lado com Hatoum e com o então futuro diretor do longa, Guilherme Coelho, foi menos uma casualidade que uma confluência natural de interesses em comum, no momento certo.

“Hatoum é um autor com que me identifiquei muito desde que li ‘Dois irmãos’. Certo dia, soube que ele ia fazer uma palestra no Sesc de Copacabana, e fui para conhecê-lo, como admiradora do trabalho dele. E eu não sabia, mas o evento estava sendo organizado pelo Guilherme. Quando me viram na plateia, eles já me abordaram e falaram da possibilidade do filme. A partir daí começamos nossos encontros”, recorda ela, apontada para o papel pelo próprio autor. “Fico feliz de ter ouvido dele que não teria outra atriz para ser a Florita”.

A estreia nacional de “Órfãos do Eldorado” aconteceu em novembro passado, quase dois anos depois das filmagens, ocorridas entre setembro e outubro de 2013. O filme, que teve ainda première em janeiro do ano passado, na 18ª Mostra de Cinema de Tiradentes (MG), tem roteiro do próprio Coelho, que produziu uma versão autoral do romance publicado em 2008.

Além de Hatoum, que já deu seu aval ao longa, Dira é outra que elogia o resultado da adaptação nas telas: “O Guilherme fez uma adaptação ousada, livre, contundente e profundamente hatouniana”.

Ainda na telona

Depois de “Órfãos do Eldorado”, outro filme estrelado por Dira Paes foi “Redemoinho”, com direção de José Luiz Villamarim, de “O rebu” e “Amores roubados”. O longa, a estrear no segundo semestre deste ano, tem no elenco ainda Irandhir Santos, Cássia Kis Magro e Júlio Andrade. Dira também aguarda o início das filmagens de “Encantados”, de Tizuka Yamazaki, a ser filmado na ilha de Marajó, no Pará.Na televisãoDira hoje participa das gravações de “Velho Chico”, novela das nove da rede Globo. As cenas da atriz devem ir ao ar na segunda fase da trama.

Escritor em cena

“Órfãos do Eldorado” traz uma participação especial de Milton Hatoum em cena. O escritor amazonense faz uma ponta no papel de um pescador amazonense. O longa tem no elenco ainda os atores Adriano Barroso, Henrique da Paz e Paulo Fonseca.

Publicidade
Publicidade