Publicidade
Entretenimento
CINEMA

Filme sobre a vida do fundador do movimento 'Hare Krishna' estreia em Manaus

O documentário será exibido nos dias 10, 14 e 15 de maio em sessões legendadas, a partir das 21h30, nos shoppings Millenium e Ponta Negra 08/05/2018 às 12:50 - Atualizado em 08/05/2018 às 14:10
Show bv0308 1f
Alexandre Pequeno Manaus (AM)

Nesta quinta-feira (10), a rede Cinépolis recebe a estreia do premiado documentário “Hare Krishna! O Mantra, o Movimento e o Swami que começou tudo”. Com a direção do norte-americano John Griesser, o filme aborda a trajetória de Srila Prabhupada,  revolucionário  cultural e fundador do movimento espiritual Hare Krishna. Em Manaus, o documentário será exibido nos dias 10, 14 e 15 de maio em sessões legendadas, a partir das 21h30, nos shoppings Millenium e Ponta Negra.

O filme retrata a vida de Srila Prabhupada  - o Swami,  indiano de 70 anos de  idade  que chegou num cargueiro, sem recursos financeiros ou contatos, em Nova Iorque, em  meio à turbulenta década de 1960, e que se tornaria um dos principais agentes de um imenso  fenômeno  cultural  do  século  XX.  “Hare  Krishna!”  traz  arquivos  inéditos, gravações  de  áudio  do  próprio  Prabhupada  e  entrevistas  com  seus  primeiros seguidores,  além  de  muitos  registros  dos  anos  60  e  70,  auge  da  contracultura.  O documentário  fez parte do grupo de 170 produções que estavam aptas a concorrer a uma das cinco vagas no Oscar 2018.

Contexto histórico
O documentário  apresenta os  bastidores  do  movimento  cultural  nascido  na  cena artística e intelectual, no Bowery de Nova York e na meca hippie de Haight-Ashbury de São Francisco, passando pela beatlemania de Londres. Mostra como George Harrison ajudou a lançar um single com o mantra do movimento Hare pelo selo dos Beatles: o canto  de  um  mantra  rítmico  e  meditativo  de  16  palavras  -  “Hare  Krishna,  Hare  Krishna,  Krishna  Krishna,  Hare  Hare,  Hare  Rama,  Hare  Rama,  Rama  Rama, Hare  Hare”.  

George gravou  com  os  primeiros  devotos  em  Londres  o  mantra  em  um compacto  pela  Apple  Records,  tornando  esta  milenar  meditação  em  um  hit  na Inglaterra. Posteriormente, seu sucesso solo  “My Sweet Lord” apresentou o canto de “Hare Krishna” para  todo  o  planeta,  sendo  considerado,  inclusive,  uma das músicas mais icônicas  da  época.  A  partir  daí,  o  movimento  de  Prabhupada  explodiu definitivamente, e seus seguidores, agora conhecidos como os Hare Krishnas, ficaram famosos por cantarem e dançarem nas ruas, estando presentes em todos os principais  grandes fatos culturais da década, festivais de música, filmes e manifestações. 

O diretor John Griesser se aproximou pela primeira vez de Srila Prabhupada em 1970, na  Índia.  “Eu quero fazer um documentário sobre sua vida”, disse John a  Prabhupada. O líder do movimento  respondeu:  “Isto  não  é  importante”.  John insistiu até ter sua aprovação,  a  partir  daí  acompanhou  o  Swami  por  todo  mundo:  EUA, Europa e  Índia, foram alguns dos  locais onde John registrou  imagens das viagens do líder. Não foi tarefa fácil acompanhá-lo, segundo John,  “Prabhupada não gostava de falar sobre si mesmo”.

Gravações
O documentário levou quatro anos de pesquisa para ser finalizado. John, assistido por sua  esposa  Jean,  garimpou  mais  de  31  horas  de  filme  que  fez  durante  toda  sua convivência  com Srila  Prabhupada  –  o  Swami,  até mesmo  nos momentos  finais  do líder do movimento Hare Krishna. John esteve nos anos 80 no Rio e na comunidade Hare Nova Gokula, em Pindamonhangaba, em SP, e estes registros no Brasil  fazem  parte  do  vasto  acervo  de  imagens  do  filme.

Publicidade
Publicidade