Publicidade
Entretenimento
Vida

Filmes do Amazonas para o Mundo

Eventos em Los Angeles, nos EUA, e Floriano, no Piauí, vão exibir filmes produzidos no Amazonas 14/08/2013 às 13:17
Show 1
Cena de "Dark Amazon"
Rosiel Mendonça ---

Marcado para a segunda semana de setembro, o festival dedicado ao cinema brasileiro em Los Angeles terá em sua seleção oficial de filmes um representante do Amazonas. “Anhangá – Espírito da Floresta”, que ganhou o título internacional de “Dark Amazon”, será exibido no dia 10, dentro da categoria de destaque em co-produção.

Dirigida e roteirizada por Darcyana Izel, amazonense radicada em Los Angeles, a produção conta com um elenco de brasileiros e estadunidenses e conquistou o prêmio de melhor filme independente do Festival Internacional de Fort Lauderdale, na Flórida, em novembro do ano passado.

“Dark Amazon” é um thriller que conta a história de um grupo de cientistas norte-americanos que desembarcam no Brasil com o objetivo de encontrar a cura do câncer a partir de uma enzima da pele do sapo Kampô.

Quando os pesquisadores são obrigados a adentrar a floresta para recuperar as amostras, mortes misteriosas começam a acontecer. O que eles não imaginam é que o Anhangá, personagem de uma antiga lenda amazônica e protetor dos animais, parece estar por trás do mistério. O filme teve a maioria das suas cenas rodadas no município amazonense de Presidente Figueiredo.

No Páreo

O documentário em curta-metragem “Nessa cidade todo mundo já bebeu na Bica” também acaba de ser selecionado para o 8º Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões, que acontece de 6 a 10 de novembro em Floriano, no Piauí. O evento é considerado um dos maiores festivais de cinema do Nordeste e, neste ano, recebeu 181 inscrições de vários estados do País.

Produzido pela realizadora audiovisual Keila Serruya, o filme vai concorrer ao Cacto de Ouro de melhor filme, diretor, roteiro e montagem na categoria produtoras independentes. O curta estreou em Manaus em janeiro deste ano e, depois disso, foi exibido apenas no Amazônia Festival, em Faro, Portugal.

Para Keila, a oportunidade de estabelecer trocas com outros realizadores brasileiros é mais gratificante que as quatro indicações que “Nessa cidade...” recebeu. “Até porque já vi curtas muito interessantes não ganharem nada. Estou bem animada de ir a um encontro tão importante e conhecer outros produtores independentes, saber o que está acontecendo nos outros Estados. Também vai ser uma oportunidade para futuras realizações em parceria”, destacou a diretora.

Com 14 minutos de duração, o documentário segue uma linha experimental e traz entrevistas com idealizadores da Banda da Bica, uma das mais tradicionais do Carnaval manauara. O filme recorre a imagens, fotografias e relatos de personagens-chave para contar o processo de construção da festa.

Lançamento

No final do mês, Keila Serruya vai lançar o curta “Assim”, no Cine Teatro Guarany. O filmete marca a segunda fase de um projeto que a produtora iniciou em março, com a realização da vídeo-instalação “Assim aqui” em diversos pontos da cidade. O trabalho tem o objetivo de levar à tela temas como travestismo e questões de gênero.

Publicidade
Publicidade