Terça-feira, 21 de Maio de 2019
Vida

Flutuante Abaré no Tarumã será palco de mostra de artes

Evento acontece nesta sexta-feira com programação diversa e lançamentos de livro e álbum de música eletrônica 



1.jpg
O flutuante Abaré SUP & Food tem recebido inúmeros eventos culturais
07/01/2016 às 14:35

Música, literatura e artes visuais vão dividir o mesmo espaço nesta sexta-feira (8), no flutuante Abaré, durante a realização da 1ª Mostra de Arte Amazonense do Tarumã. A programação começa às 20h e vai contar com os lançamentos do livro “O barulho do mormaço”, de Priscila Lira, e do álbum de música eletrônica “Black River”, do DJ e produtor musical Diego Mazzitelli, além de sarau literário e exposições. Será cobrado ingresso de R$ 10, que inclui transfer a partir da Praia Dourada.

Priscila e Diego estão na organização da mostra com o apoio da administração do Abaré, que há algum tempo estava interessada em abrir o flutuante para os artistas locais. “Como o espaço é grande e legal, resolvemos ampliar o evento para alcançar mais artistas. Por enquanto, é um projeto piloto, mas vamos acompanhar o resultado da primeira edição e o retorno do público”, afirma Priscila.

Sobre o livro que vai lançar, a escritora explicou que se trata de uma coletânea de 15 contos e minicontos escritos nos últimos quatro anos. Até então, ela só havia publicado “Manual de feitiçaria”, lançado em formato de e-book em 2013. “’O barulho do mormaço’ é um projeto artisticamente mais ambicioso. Alguns contos eu já tinha publicado na Internet, coisas que escrevi desde o tempo da graduação, então reuni os que tivessem uma relação entre si e acrescentei outros inéditos para dar corpo ao livro”.

Segundo Priscila, que há dois anos se mudou para Curitiba para cursar um mestrado em Estudos Literários, a nova obra tem traços da convivência dela no Amazonas. É a partir desse ponto de vista que ela foi moldando sua ficção pautada em temas como vida, morte, sexualidade, espiritualidade e protagonismo feminino. “Muitas das minhas impressões do mundo vêm do que vivi aqui, mas só percebi isso quando me mudei”.

“O barulho do mormaço” será vendido em duas versões: uma costurada a mão, com capa desenhada pela autora, custará R$ 40; outra edição mais simples custará R$ 15. O livro tem projeto gráfico da Ellenismos Edições, pequena editora de Fortaleza.

Eletrônica

Por sua vez, “Black River”, de Diego Mazzitelli, materializa o desejo do DJ e produtor de fazer música eletrônica com influências amazônicas, reunindo sonoridades orgânicas e indígenas. Lançado na Internet em dezembro de 2015, o álbum foi financiado com recursos do edital Proarte 2014, da Secretaria de Cultura. As sete faixas podem ser ouvidas no site https://mazzitelli.bandcamp.com/album/black-river.

“Fiz o projeto nesse molde para o edital, mas durante a produção percebi que essa seria a minha linha como artista no futuro. Por meio do ‘Black River’ acabei me encontrando como DJ”, comentou ele. Segundo o produtor, a base do álbum são os sons coletados pelo projeto Música das Cachoeiras, idealizado pelo antropólogo Agenor Vasconcelos.

Também radicado em Curitiba, Mazzitelli é figura ativa na cena da capital paranaense. “A individualidade do estilo me fez ser bem aceito pela cena de lá, que é mais experimental e cultural do que aqui, mais voltada para o entretenimento”, disse.

Programação

O sarau será promovido pelo grupo Pandevú e Alessandra Dinelli. Os DJs Luana Aleixo, Vivi Mendes, Mazzitelli e Iann Wenery também comandarão a música no local. Já a exposição será composta por obras de Mayara Cruz, Ana Paula Corrêa, Nádja Kristhina, Kerolayne Kemblim e Sascha Porto.

Serviço
O que é: 1ª Mostra de Arte Amazonense do Tarumã
Quando: Sexta-feira, dia 8, a partir das 20h
Onde: Abaré SUP & Food
Quanto: R$ 10 (inclui transfer a partir da Praia Dourada)



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.