Terça-feira, 21 de Maio de 2019
Vida

Foco e planejamento: organização é essencial para o sucesso da dieta

Além de consultar um nutricionista, organizar a dieta da semana contribui para atingir a meta de perda de peso ou alimentação saudável



1.png
Escolha um tipo de recipiente para as refeições
08/01/2016 às 14:52

Uma receita é válida a todos quando o assunto é dieta. É preciso querer, ter determinação e, principalmente, persistência. Mas há também outro ingrediente, considerado pelos blogueiros e profissionais da saúde como peça fundamental: planejamento.

A proposta é esquematizar como você vai colocar o seu plano de novo hábito alimentar em ação. Para isso, sem dúvida, é essencial procurar uma ajuda profissional, como o médico e o nutricionista. São eles que vão definir quais os exames necessários antes de iniciar a dieta. “A partir disso, definimos os objetivos do paciente, se ele tem alguma restrição, alguma doença, se quer perder gordura, ganhar massa muscular, enfim, cada corpo tem suas necessidades”, explica a nutricionista Stefanie Lima. 

Quantidade de refeições, os horários e as alternativas para não deixar a pessoa burlar sua própria dieta são definidos em seguida. Segundo Stefanie, o profissional e o paciente elaboram juntos essa etapa. “Quem optar pela reeducação alimentar quer uma mudança, então, já tem que ter isso na cabeça. Mesmo assim, temos que encaixar novos hábitos na rotina que a pessoa já tem”, explica. 

A auxiliar administrativa Ana Valéria Silva colocou na agenda o “dia D” para se dedicar a organizar a alimentação de toda a semana. Fazer as compras, higienizar, separar tudo em potes, cozinhar e congelar são as atividades do dia. “Passo o dia trabalhando e tem perídos que estudo durante a noite. Não dá tempo de fazer e, quando chego cansada, acabo caindo na tentação de comer industrializado ou fast food. Organizando, evito dar essa ‘escapadinha’”, fala. 

Deixar cada refeição separada em potes na geladeira e ter uma bolsa térmica para levar os alimentos, no caso de quem passa o dia fora de casa, são duas ótimas opções. “Mas dá sim para comer na rua, só depende onde e o quê. Já tem muita padaria que tem opções de sanduíche integral, suco natural, por exemplo. Todos esses detalhes é o que vamos definir no planejamento”, diz a nutricionista. 

Stefanie Lima aprova e recomenda a tática de Ana Valéria e ainda reforça que o congelamento é um processo que facilita muito a rotina. “Você economiza tempo, dinheiro e garante seu objetivo”. 

Congelamento

O primeiro passo para o congelamento é escolher o pote, que pode ser de vidro, plástico ou mesmo uma sacola de plástico apropriada para o congelamento. O ideal é ter um pote por cada refeição ou a quantidade que a família for usar. “Não pode esquecer de etiquetar com a data do congelamento e qual é a refeição”, fala a nutricionista.

Use talheres e pegadores limpos para manipular os alimentos, jamais use as mãos. Alimentos crus, como frutas, podem ser congelados também, cortados e colocados em vasilhas. Porém, após descongelados, não podem voltar ao freezer. “Se você cozinhar esse alimento cru que estava congelado, aí sim, após o cozimento, deixe-o esfriar e congele novamente”, explica Stefanie Lima. 

Outro ponto importante é o descongelamento. Ele deve ser feito no microondas, tirando do freezer e colocando na geladeira ou na água. Nesse último caso, deixe o alimento submerso na água em temperatura ambiente por até 4 horas. Após esse período, se o alimento não estiver descongelado, é preciso terminar o processo na geladeira. “Nunca descongelar os alimentos em temperatura ambiente, pois essa é uma temperatura ótima para o crescimento de microorganismo que causam doenças”, completa.

Alternativas rápidas e práticas

Não ter tempo ou mesmo habilidade para cozinhar está longe de ser um obstáculo na hora da dieta. Há opções de delivery de comida saudável e também congelados na linha light, feitos sem conservantes, com peso e calorias descritas em cada embalagem para ninguém fugir da proposta nutricional.

“Muitas pessoas compram o combo almoço e jantar para semana toda. Temos desde de pratos mais simples, como arroz, frango grelhado e salada, a mais elaborados, como lasanha de berinjela, por exemplo, além das sopas”, conta Selma Biason, da Telu Congelados.

O aquecimento pode ser feito no microondas ou no forno e os valores variam entre R$ 21,90 a R$ 33 por refeição. “É possível comprar para o mês inteiro”, diz Selma. “Nas nossas refeições, a soma de almoço e jantar não ultrapassa a 790 calorias. Tudo está bem especificado na embalagem ”, completa. 

Vegetarianos e pessoas que passaram pela cirurgia bariátrica também tem opção de comprar refeições congeladas ou mesmo fazer suas refeições em um restaurante que tem um cardápio preparado para esses pacientes. Informações como calorias e quantidade de cada porção também estão descritos no menu da Nutrir Refeições, casa especializada em alimentação saudável, inclusive, as congeladas.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.