Publicidade
Entretenimento
MODA

Livro interativo contra a trajetória da grife brasileira Zoomp

Estilista Renato Kherlakian registra a trajetória da marca em obra interativa com QR codes para vídeos e fotos 17/07/2016 às 12:27 - Atualizado em 17/07/2016 às 17:13
Show 1 renato kherlakian cine
Lídia Ferreira Manaus (AM)

Um raio amarelo marcou a moda nacional, especialmente nas década de 80 e 90. Genuinamente brasileira, a Zoomp foi objetos de desejo de toda uma geração com suas coleções jeanswear. Para perpetuar esse legado,  o estilista e fundador Renato Kherlakian, lançou “Uns jeans, uns não”, livro editado pelo SENAI-SP. 

Mais que a trajetória da empresa  entre 1974 e 2006, a obra faz uma leitura de quatro décadas do jeans no Brasil. Além de textos assinados por Ronald Sclavi e escritos em forma de glossário, “Uns jeans, uns não” interage com o leitor por meio de QR Codes, ou seja, a um clique é possível ver no celular mais fotos e vídeos para contextualizar em imagens o conteúdo. “São décadas de histórias formadas ao longo das centenas de desfiles, campanhas, de milhares de roupas produzidas, vitrines, lojas e clientes. A sensação é de ter feito história na moda brasileira e de eternizar a Zoomp afirmando-a como o melhor jeans do Brasil e que formou uma trajetória de absoluto sucesso no País e fora dele”, diz  em entrevista ao A Crítica, Renato Kherlakian. 

Ele ressalta a facilidade de relembrar, em 216 páginas,  um projeto vivido  durante 40 anos dele na industria da moda “casual-chic”.  “O que aparentemente foi mais difícil para mim, foi lembrar de uma monte de profissionais, compradores, franqueados, colaboradores, amigas, um número absurdo de pessoas, e não ter como citá-las, mas faço uma lembrança de todas elas no verbete gratidão”, declara.

De A a Z, o  glossário  de  “Uns jeans, outros não...” traz verbetes que mostram o quanto a marca se envolveu além da confecção de moda, ou seja, proporcionou um movimento econômico com o aprimoramento de vendas, marketing, desfiles e campanhas fotográficas memoráveis.  “Costuma-se dizer que a marca fez história e que os melhores profissionais tem histórias com a marca. Em Manaus, junto a franqueada Liege (Cruz), estabelecemos uma regra de alta qualidade nas lojas, vitrines, bom atendimento e produtos que marcaram fortemente o mercado da cidade. Neste sentido, o livro mostra na letra F, o quanto fomos importantes na formação destes profissionais”.

A prova é a modelo Gisele Bündchen que estreou nas passarelas do  São Paulo Fashion Week, na época ainda era Morumbi Fashion Week, estrelando uma campanha para a Zoomp. “A Gisele foi uma aposta certeira e estudada com planos de médio prazo, a se tornar um símbolo nacional, e conseguimos esta façanha com a sua participação na turnê pelo País de 16 desfiles em ação social  com GRRACC. Ela foi  a protagonista do lançamento de coleção com o tema  ‘Alice no país das maravilhas’, assumindo o papel de protagonista, linnnnnda, além das campanhas clicadas por Mario Testino”, diz.  Estrelas como Naomi Campbell, Alessandra Ambrosio, Fernanda Tavares, entre outras também passaram pela grife. “Neste momento reduzo para seis meses o sabático e torço para que a Zoomp possa retornar ao mercado com as características ímpares que a tornaram a principal marca deste País”, finaliza.

Saiba mais

Na foto, o primeiro desfile de Gisele Bündchen no SPFW foi para marca

Além da Zoomp e da Zapping, Renato Kherlakian teve também a grife de jeans premium feminino RK Denim. Atualmente a Zoomp foi vendida para o grupo K2,com sócios como  Alberto Hiar,  dono da Cavalera, em março deste ano. “Torço para que a Zoomp possa retornar ao mercado”, diz Renato.

Publicidade
Publicidade