Publicidade
Entretenimento
Vida

Galerie l’Amazonie inaugura exposição de Luísa Matsushita, a Lovefoxxx da banda CSS

Novo espaço que pretende aproximar colecionadores e artistas amazonenses será inaugurado nesta quarta-feira (26), em Manaus 26/08/2015 às 15:22
Show 1
Oscar Ramos é o curador da exposição inaugural da galeria, que terá individual de Luísa Matsushita
Rosiel Mendonça Manaus (AM)

Uma iniciativa de dois empresários amazonenses promete sanar um dos principais gargalos no mercado local de artes plásticas. Nesta quarta-feira (26), Geyna Brelaz e Valdo Garcia abrem as portas da Galerie l’Amazonie, a primeira galeria de arte contemporânea de Manaus, que passa a representar 18 artistas do Estado e convidados.

Localizado no Vieiralves, o espaço inaugura com uma exposição individual da paulista Luísa Matsushita (a Lovefoxxx da banda Cansei de Ser Sexy), em sua primeira mostra no Brasil, e uma coletiva com os principais nomes da arte amazonense, de Moacir Andrade e Rita Loureiro a Helen Rossy e Jandr Reis. A curadoria é de Oscar Ramos, que também exibirá obras no local.

Ele classifica a l’Amazonie como a vitrine que faltava para os artistas daqui exporem seus trabalhos dentro de circuito comercial. “A Geyna e o Valdo têm uma noção muito precisa de como esse sistema funciona, sabem onde estão se metendo. A ideia aqui é ser um mostruário para os artistas com quem a galeria tem contrato de representação”, explica.

A expectativa de Ramos é que o espaço fomente o mercado de artes em Manaus. “Está na hora. A pintura daqui é extremamente significativa e contribui para o conceito de amazonidade, mas o artista amazonense hoje só tem duas vitrines: o Facebook e as lojas de decoração. A galeria vem para resgatar o artista dessas duas condições paupérrimas de exibição das suas obras”.

Para o curador, tanto os artistas quanto os colecionadores e apreciadores sairão ganhando. “Os compradores terão a noção precisa do investimento que estão fazendo. No caso do artista, a galeria facilita o contato com os clientes. Na maioria das vezes ele não sabe dar preço, tem vergonha ou acha que não deve comercializar o seu talento, enquanto esse é um negócio sobretudo justo”, opina.

Investimento

Geyna Brelaz já era colecionadora de arte há 17 anos quando decidiu abrir um escritório, no início de 2015, para mediar a venda de obras amazonenses, que ela sempre considerou difíceis de encontrar fora dos próprios ateliês dos artistas.

“O negócio foi crescendo e chegou uma hora em que eu precisei de um espaço maior para reunir as obras e atender melhor os compradores”, conta a empresária, que contratou uma assessoria especializada na atividade. “Foi complicado passar de colecionadora e admiradora para a função de galerista”.

Ela destaca a diversidade de estilos que poderá ser encontrada no local, entre pinturas e esculturas. “A Dominique Humbert, da França, trabalha com laca em madeira. Já a Helen Rossy cria a partir de reaproveitamento vegetal. Uma das obras mais antigas é uma tela do Moacir Andrade dos anos 1970, que está sendo restaurada e em breve será exposta”.

Em outubro, a galeria promove exposições individuais de Dominique e do amazonense Manaus Macaco. Geyna adianta outros planos da l’Amazonie: “Também atuaremos fora de Manaus em parceria com outras galerias. Já confirmamos presença com as obras dos nossos artistas em Paris e Miami e estamos negociando com São Paulo”. 

Imersão na floresta

Luísa Matsushita é a primeira pintora a fazer parte da residência artística idealizada pela Galerie l’Amazonie. Geyna Brelaz conheceu o trabalho dela durante uma exposição em São Francisco, Estados Unidos, e resolveu convidá-la para a inauguração do espaço manauara.

Durante a residência, o artista convidado faz uma imersão em uma localidade isolada de Manaus para produzir trabalhos inéditos que depois serão exibidos na galeria. Luísa está no Amazonas há dois meses e acaba de entregar 20 telas que carregam a aura da região.

 “Essa será minha primeira exposição no Brasil. Fiquei feliz com o convite e acho ótimo o fato de isto acontecer em um lugar fora de São Paulo. É único. Eu não tinha a menor conexão com a Amazônia e agora me identifico muito”, declarou a artista e cantora em entrevista recente ao BEM VIVER.

Serviço

O quê: Inauguração da Galerie l’Amazonie com a exposição “Ela”, de Luísa Matsushita, e coletiva de artistas amazonenses
Quando:Nesta quarta-feira (26), às 19h
Onde: Rua Amapá, nº 1, Madeira Fashion, Vieiralves (esquina com Rio Madeira)

Publicidade
Publicidade