Publicidade
Entretenimento
Gastrite na infância

Gastrite na infância: problema comum entre adultos também pode atingir os pequenos

A má alimentação está entre os fatores determinantes para o agravamento da doença entre as crianças 30/10/2016 às 09:15
Show show vida0530 1f
Alexandre Pequeno Manaus (AM)

Bastante comum na fase adulta, a gastrite é uma doença que envolve o sistema gastrointestinal seus sintomas principais são sensação de queimação e dores no estômago, além de náuseas e refluxos, causados por uma inflamação aguda nas paredes estomacais. Porém engana-se quem pensa que esse é um mal exclusivo dos adultos. Com o avanço dos anos, as crianças também tem manifestado a doença.

Para o Dr. Fabiliano Rodrigues, gastroenterologista com atuação em endoscopia pediátrica, a má alimentação está entre os fatores determinantes para o agravamento da doença entre os pequenos.

“O principal fator que pode gerar esse problema na infância é o erro alimentar. O distúrbio da alimentação é um fator que gera uma série de consequências para a criança, e uma das mais importantes é no processo digestivo. Como o erro alimentar ele é feito às custas da ingestão de alimentos ácidos, ricos em gordura e carboidratos, esse excesso de produtos acaba sendo um fator que gera uma sobrecarga no estômago, e esse trabalho excessivo gera o distúrbio na secreção do estômago, ocasionando na doença”, afirma.

O estresse da vida moderna, de acordo com o doutor, gera uma série de mudanças no comportamento das crianças, que pode também fazer evoluir a gastrite. “A criança não pode desenvolver a gastrite nervosa em si, mas isso pode ocasionar o problema. Tem pessoas que são extremamente estressadas e quando isso ocorre, tem o desencadeamento da crise. Na criança, o estresse é um fator colaborador”, explica.

De acordo com Fabiliano, nas crianças menores de oito anos, os sintomas podem passar despercebidos pelos pais, mas é importante atentar aos pequenos sinais. “Dependendo da idade, os sintomas podem variar, na criança, a doença não é tão característica como no adulto, se manifesta de forma indireta muitas vezes. Próxima aos 8 anos de idade, ela começa manifestar alguns sintomas iguais aos adultos, e por isso, ela consegue identificar o que sente, como e quando”, explica. Alguns dos sinais que podem indicar o surgimento do problema são: irritabilidade, dificuldade pra dormir, sono agitado, dificuldade de se alimentar, refluxo e anemia crônica.

De onde vem o problema?

Uma das causas mais comuns da doença é a bactéria Helicobacter pylori, que se hospeda no estômago e estima-se que cerca de 80% dos brasileiros estejam infectados por ela, porém é prejudicial para cerca de 5 a 15% dessas pessoas. Essa bactéria acaba enfraquecendo a mucosa estomacal, possibilitando que o suco gástrico machuque as pareces do estômago. "A gastrite é uma doença inflamatória. Há um desequilíbrio nas secreções do estômago que resulta nesse processo inflamatório, e em alguns casos há a bactéria que vive lá, que pode ser um fator que contribua para a intensidade da gastrite”, explica o médico Fabiliano Rodrigues.

Selecionados 10 alimentos que as crianças devem evitar, até que a situação da inflamação melhore:

Comidas muito condimentadas: a maior parte dos condimentos relaxa a válvula que separa o esôfago do estômago, com o qual se favorece o conteúdo gástrico suba até o esôfago. 

Frituras: os alimentos muito gordurosos fazem com que atrase o esvaziamento do conteúdo gástrico até o intestino, tornando o processo de digestão mais duradouro e pesado.

Bebidas carbonatadas: O gás das bebidas carbonatadas (refrigerantes) não só produz flatulência como também favorece o refluxo, por isso se recomenda evitá-las diante de quadros de gastrite e refluxo gastroesofágico.

Picantes: implicam num fator irritante muito incômodo quando o estômago está inflamado. Há que levar em conta, uma vez que muitos adolescentes gostam desse tipo de sabor.

Cítricos: os cítricos são frutas muito saudáveis pela sua capacidade antioxidante e porque oferecem uma generosa quantidade de Vitamina C. Mas, aconselha-se evitá-las durante os processos de gastrite e refluxo, pois estimulam a irritação.

Vinagre: algumas conservas como as azeitonas e os pepinos, que muitas crianças gostam podem influenciar negativamente em crianças com problemas relacionados com a digestão.

Ketchup: esse molho rico em licopeno que faz a alegria da garotada contém vinagre e aumenta a acidez e ardor em crianças predispostas.

Tomate frito: aumentam a acidez e piora a situação das crianças.

Chocolate: grande paixão das crianças, o alimento deve ser evitado entre os menores que possuem a doença. Isso implica num irritante gástrico a mais.

Bebidas com teína: relaxam a válvula que separa o esôfago do estômago. Favorece o refluxo.

Publicidade
Publicidade