Publicidade
Entretenimento
Vida

Gaudêncio Thiago de Mello falece aos 80 anos

Músico amazonense, irmão do poeta Thiago de Mello, morava em Nova York desde 1966, onde atuava na cena jazz 12/11/2013 às 10:57
Show 1
Ao lado da violonista Sharon Isbin, Gaudêncio gravou “Journey to the Amazon”
Loyana Camelo ---

Ícone amazonense no exterior, o músico Gaudêncio Thiago de Mello faleceu ontem (11) vítima de câncer aos 80 anos de idade. Natural de Barreirinha como o irmão poeta, Gaudêncio estava radicado em Nova York desde 1966, para onde levou seu talento como multi-instrumentista de jazz e contribuiu fortemente para a fama do sobrenome da família nas artes. Sua discografia compreende 14 álbuns, dentre estes, “Journey to the Amazon”, vencedor do Grammy.

Apesar da inclinação natural para a música desde jovem, Gaudêncio ainda cursou arquitetura e educação física. Foi por conta deste último curso que atuou como auxiliar técnico do Botafogo Futebol Clube na época de Garrincha e atuou no Uberaba Clube de Minas Gerais e, na Colômbia, no Desportivo Cali e Unión Magdalena. Mudou-se para a Big Apple por conta do exílio na época da ditadura - o que acabou sendo primordial para o início da sua já sonhada carreira como músico. Lá, Gaudêncio estudou o ofício, fez amizades e se infiltrou de vez no meio do jazz nova-iorquino.

De acordo com a notícia veiculada ontem na Agência O Globo, Gaudêncio desenvolveu o que chamou de “percussão orgânica”, em que se vale de instrumentos como boca-do-mato, boca-de-barro, pau-de-chuva, entre outros, construídos com pedaços de madeira amazônica e até mesmo cascos de tartaruga. Sua origem, portanto, contribuiu para a desenvoltura e criatividade do artista.

Irmão e companheiro
Comovido, o irmão e poeta Thiago de Mello comentou a respeito da passagem de Gaudêncio. “Meu irmão foi meu companheiro de escola, de artes, de música”, disse, relembrando a parceria dos dois no CD “ A Criação do Mundo”, no qual Gaudêncio musicou vários poemas de Thiago. “Ele tinha uma carreira linda, era respeitado por muita gente boa”.

A pedido do músico, seu corpo será cremado e as cinzas, jogadas no Rio Amazonas, mais precisamente no Encontro das Águas, daqui a prováveis 15 dias segundo Thiago. Gaudêncio deixa quatro filhos, Ayla, Paulinho, Nando e Jamine.

Publicidade
Publicidade