Publicidade
Entretenimento
Arte urbana

Grafites dão vida nova a viadutos e passagens de nível em Manaus

Parceria entre a prefeitura e artistas promete transformar esses locais em atrativos turísticos. As pinturas vão de animais regionais como araras a retratos de índios caçando 16/08/2016 às 21:01 - Atualizado em 17/08/2016 às 20:53
Show unnamed
Entre locais a receber as pinturas está o Complexo Viário Gilberto Mestrinho, no bairro Coroado, Zona Leste (Divulgação)
acritica.com

Com pinturas que retratam a história e o cotidiano na capital amazonense, uma parceria entre a Prefeitura de Manaus e artistas do grafite começou a dar vida nova às paredes de concreto dos viadutos e passagens de nível da cidade. A ideia é transformar esses locais em atrativos turísticos.

Quem passar pelo Complexo Viário Gilberto Mestrinho, no bairro Coroado, Zona Leste, já pode notar o início das pinturas. De animais regionais, como araras, a retratos de índios caçando, vem mudando o cenário. Ação semelhante foi realizada recentemente nos muros do Passeio do Mindu, no Parque Dez, zona Centro-Sul.

Outros lugares receberão os grafites, como o viaduto de Flores e o Miguel Arraes, ambos na Zona Centro-Sul, e o viaduto do São José, na Zona Leste, que fazem parte da etapa inicial.

“Democratizar a arte para o povo é um ponto muito importante por que, hoje em dia, várias cidades pelo mundo constroem grandes murais artríticos para expandir a arte para o povo e, assim, a cidade pode virar uma grande galeria a céu aberto como acontece em Miami e São Paulo”, relatou o artista plástico, Arab Amazon.

Além de substituir as pichações, Arab também vê a iniciativa como inovadora, além de contribuir para divulgar a arte dos grafiteiros. “Manaus, não pode ficar para trás em relação a isso, pois serve de porta para novos caminhos que a arte vai tomar na cidade”, disse.

“A arte é uma ferramenta de recuperação e, principalmente, estando na entrada da zona Leste vai fazer muitas realidades ruins que existem ali deixarem de existir.”, completou o artista.

Antes de receberem a arte do grafite, os espaços passaram por um processo de lavagem, pintura e reparos. Devido ao fluxo de veículos ser menor à noite, os trabalhos acontecem diariamente a partir das 18h. A previsão é de que o trabalho seja concluído em 40 dias.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade