Publicidade
Entretenimento
GRATUITO

Grupo de teatro de Curitiba realiza oficina de improvisação em Manaus

O objetivo é fazer com que o participante explore a sua potência criativa por meio dos jogos de improviso 29/09/2016 às 13:26 - Atualizado em 29/09/2016 às 13:41
Show delicadas embalagens 02 foto elenize dezgeniski
Companhia circulará por cidades do Amazonas e Roraima com patrocínio da Funarte (Elenize Dezgeniski)
acritica.com Manaus (AM)

De 6 a 8 de outubro, a CiaSenhas de Teatro (Curitiba/PR) estará pela primeira vez em Manaus com o espetáculo “Delicadas Embalagens”, uma narrativa dinâmica que aborda temas como consumo, conflitos familiares, afetividade e suas contradições. A peça será apresentada no Espaço das Cias. (rua Dona Libânia, 300, Centro), sempre às 20h, com entrada franca. Mas no dia 7, no mesmo local, o grupo também realiza uma oficina de improvisação para atores e não atores, das 14h às 17h.

Os interessados podem se inscrever pelo e-mail souffledebodocompany@gmail.com ou pelos telefones (92) 98182-2367 e (92)98201-1229. As vagas são limitadas.

A atividade terá duração de 3h e será conduzida pela atriz, pesquisadora e professora Anne Celli. Segundo ela, o objetivo da atividade é fazer com que o participante explore a sua potência criativa, através dos conceitos dos jogos de improviso: a prontidão, a escuta, o erro como algo positivo e o trabalho em equipe.

Sobre a peça

Com texto e direção de Sueli Araujo, “Delicadas Embalagens” é conduzida por quatro atores (Anne Celli, Ciliane Vendruscolo, Greice Barros, Luiz Bertazzo) que narram e vivenciam a intimidade e as perdas de uma família formada por pessoas muito jovens. São adolescentes que, trôpegos, educam suas duas filhas e tentam administrar - ao seu modo - uma vida adulta repleta de solicitações.

“A encenação opta pela proximidade entre ator e plateia e pela simplicidade dos objetos cênicos para construir imagens que projetam memórias coletivas”, explica a diretora e dramaturga Sueli Araujo. “O público é convidado a participar da intimidade desta família em que a ausência de afetividade pode revelar-se como um pequeno, mas poderoso desvio da percepção da vida real”.

Publicidade
Publicidade