Domingo, 20 de Outubro de 2019
ARTES CÊNICAS

Grupo Garimpo remonta a peça 'Noite de Estreia' com elenco amazonense

Subvertendo as convenções do teatro, espetáculo mostra noiva que entra em crise existencial antes do casamento



noite_de_estreia_Francisco_Costa1.jpg Projeto já foi montado outras duas vezes (Francisco Costa)
25/07/2018 às 14:18

Com projetos desenvolvidos no Rio de Janeiro e em Manaus, o Grupo Garimpo apresentará neste fim de semana seu novo trabalho na capital amazonense: uma versão inédita do espetáculo experimental “Noite de estreia”. As apresentações vão acontecer no Teatro Usina Chaminé (Av. Lourenço da Silva Braga, Centro), nos dias 28 e 29 de julho, com duas sessões diárias, às 18h e às 19h. Os ingressos poderão ser adquiridos no local a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Na peça, uma noiva, acompanhada da mãe, do organizador de cerimônias e do cinegrafista, está prestes a se casar. Mas, esperando o momento para a entrada na igreja, ela tem uma crise existencial. Para o diretor Ricardo Libertini, “Noite de estreia” é uma experiência que reflete sobre o fracasso, a precariedade e o fazer artístico e teatral em Manaus e no País.



“O projeto é independente e um dos que eu considero mais difíceis quanto à montagem e execução. Ele já aconteceu três vezes no Rio de Janeiro, sendo uma delas em um festival e outra em uma mostra de teatro da PUC, e agora faremos com o elenco e a equipe de Manaus”, comenta.

Jogo de cena

O diretor também explica que “Noite de estreia” é inspirado em “Openingnight”, longa-metragem de John Cassavetes lançado em 1977. “Mas a peça não é uma adaptação do filme”, ressalta. Segundo ele, o espetáculo foi concebido para ter duas versões: uma mais longa e outra mais compacta, sendo que está última é a que será apresentada em Manaus. As sessões na Usina Chaminé terão aproximadamente 25 minutos.

O elenco conta com Ítalo Almeida, Maria Moraes, Tainá Lima e Vanessa Pimentel. A assistente de direção de arte Teti Belém, o fotógrafo Alonso Junior também, a equipe do teatro e outros colaboradores também estarão em cena atuando em suas funções para o público, dentro e fora da sala de espetáculos.

Recepção

Para o diretor Ricardo Rocha, que foi debatedor do IX Festival Niterói em Cena, “Noite de estreia” coloca em cheque as convenções do teatro: “O tempo neste trabalho é crucial, tudo está contra e a favor do tempo. É um trabalho bem fundamentado, metalinguístico, uma fricção que coloca a plateia num lugar estranho, de desconforto, sem saber no que vai dar”, escreveu ele na crítica do espetáculo.

“A desterritorialização dos signos é uma consequência potente daquilo que está em ação. Esse ato performático é antes de tudo um ato de coragem, de quebrar com todas as normas vigentes, um manifesto político sobre a práxis da cena e um deboche sobre os modos de produção teatral. Sem dúvida um trabalho necessário nos festivais, pois coloca em cheque tudo que entendemos como cena”, completou.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.