Sexta-feira, 24 de Maio de 2019
DANÇA

De Manaus, grupo The Fusion Norte Company se prepara para competição em SC

Grupo abre vagas para bailarinos e também marca prensença em Joinville para cursos técnicos do Festival Internacional



1465462_D20569C1-9EAD-46F9-8CB7-9CC22529F279.jpg
O grupo surgiu em 2007 em mostra de dança do Estado. De lá, já participou e ganhou de inúmeras competições pelo Amazonas. Fotos: Dhyson Lima/Divulgação
08/04/2019 às 19:29

The Fusion Norte Company já é um grupo consolidado nos festivais nacionais, e agora eles se preparam para o próximo desafio. Assim, abriram seletivas neste sábado (6), no espaço Cali Fit, com o objetivo de levar um grupo com mais de 30 pessoas para competir no Prêmio Desterro Festival, em Florianópolis (SC).

“Nosso objetivo é ampliar a companhia. Buscamos algumas pessoas com certa base na dança, mas de todos os gêneros, por isso vamos do iniciante ao avançado, entre 14 a 35 anos”, comentou o diretor André Durand, ressaltando também que todos terão direito a um vale transporte.

O Festival é realizado entre os dias 27 de agosto e 1 de setembro ainda este ano, passando por sua décima edição. Graças a parcerias com o Sinetram e a empresa União Cascavel, o The Fusion está em busca dos inúmeros prêmios que são oferecidos em Florianópolis, desde melhor figurino até melhor produção e direção.

Grupo Forte

No ano passado, em seu oitavo ano no Festival de Joinville, que é o maior festival de dança do mundo, a companhia The Fusion Norte Company celebrou oito aprovações para se apresentar no evento. Dentre elas, a coreografia de Heloísa Judite, que ficou em terceiro lugar homenageando a cultura indiana, a mesma que levará até o Desterro Festival.

“A coreografia terá algumas mudanças técnicas e de figurino, mas é o mesmo trabalho com a mesma intenção da primeira vez”, explicou a bailarina, que diz ter passado por uma das melhores experiências com a companhia aquele ano em Joinville, com o grupo levando pela primeira vez apostas coreográficas diferentes, como a sua própria dança indiana, e ver o público reagindo muito bem. “A intenção é mostrar o amor deles ao hindu, toda a situação da prece que os cerca”, completa.

Levarão também outros estilos dançantes, do boi até o jazz, todas as músicas sendo mixadas pelo Dj Odias, que é um dos principais colaboradores para criar o diferencial do grupo.

Visão do Futuro

Elifas Matos, coreógrafo da The Fusion, foi um dos percussores da dança árabe dentro das danças populares, não só aqui em Manaus como nacionalmente também. “Hoje temos a categoria de danças internacionais, exatamente por causa disso. O importante pra mim é fazer as pessoas entenderem que não é bom só porque o figurino é bonito, a produção é linda, mas tem toda uma técnica nisso tudo. Por isso, nos damos aulas desde balé clássico até de consciência corporal pra nossos bailarinos”, afirmou.

Hoje, o grupo é especializado em danças populares, possui 15 bailarinos e tem uma grande ambição. “Queremos valorizar outras danças amazônicas além do boi, e sair também pra valorizar outras categorias e outras linguagens da própria dança. Nosso sonho é buscar sempre novos talentos para se jogar em novos desafios”, disse Júnior.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.