Sábado, 24 de Agosto de 2019
Vida

Herdeiro de Elis Regina, Pedro Mariano lança registro de novo trabalho em CD e DVD

‘Pedro Mariano e Orquestra’ está lançando em CD e DVD, pelo selo independente, canções de compositores renomados da música popular brasileira



1.gif DVD conta com 16 faixas, dentre regravações e canções inéditas
04/10/2014 às 12:34

Canções de compositores como Djavan, Ivan Lins, Gonzaguinha e Roberto Carlos ganharam releituras sofisticadas no projeto “Pedro Mariano e Orquestra”, que o cantor paulista está lançando em CD e DVD pelo selo independente NAU. O registro ao vivo do novo show, que já rodou diversas capitais brasileiras, também traz inéditas de Jair Oliveira e do trio Ana Carolina, Chiara Civello e Edu Krieger, além de músicas gravadas por Mariano ao longo da sua carreira.

Em entrevistas, o artista tem dito que a ideia de fazer um show acompanhado por uma orquestra vem de longe e surgiu da vontade de ouvir músicas do seu repertório (e de outros compositores e intérpretes) com arranjos especiais. Mas, ao BEM VIVER, Mariano admitiu que o projeto tem um quê de influência do pai, César Camargo Mariano, pianista e arranjador de prestígio internacional.

“Como arranjador e um cara que sempre escreveu para formações grandes, inclusive para orquestras das TVs Record e Tupi, ele sempre contava histórias sobre música em casa. Nos fins de semana também costumávamos ouvir Frank Sinatra, Ella Fitzgerald, Nat King Cole, e ele sempre comentava sobre os arranjos das músicas. Acho que ele me influenciou nesse sentido, em ter aberto a minha cabeça e ter me levado a ouvir essas coisas”, conta.

Conforme foi crescendo, Pedro foi tomando gosto pelas “cores” que uma orquestra - em especial as big bands, que têm marcado presença nas suas audições caseiras - agregam à música, inclusive à atuação do intérprete no palco. “Daí vem o sonho, porque uma coisa é aprender a ouvir tudo isso e outra é se enxergar dentro desse formato. É o tipo de projeto que, caso eu curtisse o resultado, me levaria bem mais a sério como artista. E foi o que aconteceu, sem dúvida”, completa.

“Pedro Mariano e Orquestra” tem direção de Jorge do Espírito Santo e direção musical de Otávio de Moraes. Segundo o cantor, o trabalho não usa a formação de metais erudita, e sim a popular – de clássico mesmo só o naipe das cordas. “Essa mescla resultou num som com o qual me identifico bastante. Ele se encaixou muito bem nas músicas e no me jeito de cantar. Tem todas as cores e a doçura da orquestra, mas quando é preciso uma ‘pancada’ numa música mais marcante tem a metaleira para dar a pulsação”, resume ele.

‘Foi mais divertido’

Pedro Mariano ingressou profissionalmente na música aos 20 anos, quando produziu, junto com o irmão João Marcello, uma homenagem à mãe, Elis Regina, em que cantava músicas marcantes do repertório da artista. Em 2012, ele dirigiu o show “Elis por Eles”, para o qual convidou 14 vozes masculinas para reinterpretar os clássicos da mãe.

Um pouco antes, em 2009, ele embarcou na empreitada de ter um selo musical próprio, o NAU, após passagem pela Sony Music, Universal e Trama. “Nunca tive problema com liberdade artística nas gravadoras, mas meu objetivo era ter um pouco mais de controle sobre meu trabalho, como uma distribuição e marketing específicos”, pondera.

“Mas claro que é muito mais difícil porque não tenho a verba que os caras têm. Por outro lado, o emprenho da equipe supera uma série de obstáculos e o resultado é mai saboroso”. De 2009 para cá, Mariano lançou quatro projetos, marca que talvez não alcançasse dentro de uma gravadora. “Foi bem mais divertido”, garante.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.