Publicidade
Entretenimento
Vida

Hinos do rock na opinião de quem toca, ouve e promove

Para tentar chegar a um denominador comum – ou ao menos perto disso – a reportagem de A CRÍTICA delegou essa tarefa para três públicos: quem toca, quem ouve e quem promove o rock n’ roll. Cada um possui influências distintas, afinal é impossível universalizar o gosto, cabendo então ao leitor eleger por onde começar com as dicas dadas 12/07/2013 às 09:34
Show 1
Jean Sena ouviu ao vivo clássicos como 'Rock In Rol', do Zeppelin
Loyana Camelo Manaus, AM

Não há polêmica maior do que tentar reduzir todo um gênero musical a uma lista com número fechado. Mas a proximidade do Dia do Rock força uma triagem, pelo menos, para tentar eleger músicas que não podem de jeito nenhum ser desprestigiadas por quem é entusiasta do estilo. Portanto, roqueiros, unam-se: amanhã é a oportunidade perfeita para estourar as caixas de som com os mais-que-bem-recomendados hinos do rock.

Para tentar chegar a um denominador comum – ou ao menos perto disso – a reportagem de A CRÍTICA delegou essa tarefa para três públicos: quem toca, quem ouve e quem promove o rock n’ roll. Cada um possui influências distintas, afinal é impossível universalizar o gosto, cabendo então ao leitor eleger por onde começar com as dicas dadas.

Para início de conversa, existem casas de show com seus próprios hinos do rock. É o caso do Porão do Alemão, cuja identidade está intimamente ligada às músicas mais pedidas por seus frequentadores. De acordo com o proprietário William Lauschner, “Toxicity” (System of a Down), “Back in Black” (AC/DC), “Smells Like Teen Spirit” (Nirvana), “Black” (Pearl Jam) e diversas do Metallica são simplesmente “a cara” do seu bar.

Pontuar os seus próprios hinos, entretanto, é um desafio para Lauschner. “Como diria Renato Russo, só sei do que não gosto”, brinca. Mesmo relutante, o empresário consegue nomear alguns clássicos recomendáveis a todos. “Todo roqueiro precisa ouvir ‘Pulse’ pelo menos uma vez, porque retrata bem uma era inteira do Pink Floyd. ‘Black Album’ do Metallica também é pré-requisito pois é um álbum repleto de hinos”, comenta.

À frente do pub All Night, Rodrigo Silva é categórico. “Para ser um hino do rock é preciso ter um excelente riff, distorção na guitarra, uma boa linha de baixo e um refrão poderoso”, opina. Silva elenca as canções mais tocadas em seu pub, e coincidentemente, algumas figurinhas citadas por Lauschner se repetem, como “Toxicity” e “Black”. Ao lado destas entram “Like a Stone” (Audioslave), “Otherside” (Red Hot Chili Peppers) e “Metamorfose Ambulante” (Raul Seixas).

Repertório

O baterista Beto Montrezol comenta o que mais executa  a pedido da plateia na condição de integrante da banda Hightower: “Black” (Pearl Jam), “Like a Stone” (Audioslave), “Sweet Child O’ Mine” (Guns n’ Roses), “Mulher de Fases” (Raimundos) são algumas destas. Já em sua opinião, o músico consegue nomear cinco músicas que melhor representam o rock n’ roll: “Bohemian Rhapsody” (Queen), “Rock N’ Roll” (Led Zeppelin), “Seek and Destroy” (Metallica), “Paranoid” (Black Sabbath) e “The Number of the Beast” (Iron Maiden).

Vocalista da Barfly’s, Sandro Sasso sabe que é importante agradar o público. “Sempre estamos prontos para tocar o que o pessoal peça”, diz. E qual não é a surpresa a repetição de “Like a Stone”, “Toxicity” e “Smells Like Teen Spirit” na lista das mais tocadas pela banda, refletindo de certa forma, a preferência dos amazonenses por estas músicas.

Já o guitarrista André Mendonça (da Serpentine e Immortal Choir) engrossa a fila dos  que tocam em bandas de rock mais pesado. Por isso,  o repertório à gosto do público que comparece aos seus shows precisa ter “Fear of The Dark” (Iron Maiden), “Breaking the Law” (Judas Priest), “Reign in Blood” (Slayer) e a sempre querida “Back in Black” (AC/DC).

Quem gosta, sabe

O analista de sistemas Jean Sena teve oportunidades de dar inveja a qualquer roqueiro: ouviu ao vivo alguns bem cultuados hinos do rock. “Ouvi ‘Rock n’ Roll’ do Led Zeppelin, ‘Number of the Beast’ do Iron Maiden e até Legião Urbana com o Renato Russo, no único show que eles fizeram com ele em Manaus”, comenta. De recordação, Sena guarda os ingressos dos eventos que lhe proporcionaram tal deleite.

Apesar estar claro que não existe como encerrar uma lista de melhores do estilo sem controvérsia, ao que tudo indica, muitos destes clássicos se repetem no gosto do público. Mas um elo incontestável une os fãs.

“A palavra do rock é a liberdade de espírito. É o poder de escolher o que se quer ouvir, mesmo com críticas”, afirma Jean Sena. E é dessa forma que deve ser escolhida a trilha sonora de amanhã: livre e sem medo de críticas.

Lista

Os maiores criadores de hinos (de acordo com os entrevistados)

1 –  Led Zeppelin
2 – System of a Down
3 – Queen
4 - Audioslave
5 – Pearl Jam

Publicidade
Publicidade