Terça-feira, 21 de Maio de 2019
Vida

História 'proibida' do AM é tema de peça que abre festival em SP

Espetáculo resgata a história da construção da rodovia BR-174 nos anos de chumbo da ditadura, quando cerca de três mil indígenas foram mortos na região



1.jpg
"A Estrada" será apresentada na abertura do Festival Tom Brasil Regional, no dia 13 de fevereiro
09/01/2016 às 09:19

Um espetáculo da Amazônia, uma história do Brasil. Assim o diretor Douglas Rodrigues define seu trabalho mais premiado, a peça “A Estrada”, que resgata a história “proibida” da construção da rodovia BR-174 nos anos de chumbo da ditadura, quando cerca de três mil indígenas foram mortos na Amazônia em nome do progresso brasileiro, fato só recentemente oficializado pela Comissão da Verdade, que apura os crimes do regime militar no Brasil.

Indicado nas 11 categorias do Festival de Teatro da Amazônia em 2014 e vencedor de sete delas, incluindo melhor direção e melhor espetáculo, “A Estrada” será apresentado pela primeira em São Paulo, na abertura do Festival Tom Brasil Regional, no dia 13 de fevereiro.

O evento apresentará espetáculos que foram destaque no ano de 2014 e busca descentralizar a amostragem da produção teatral brasileira no um dos principais palcos de difusão cultural do País.

“O Tom Brasil é uma das principais casas de São Paulo e o festival (Tom Brasil Regional) já está no calendário cultural da cidade. Será um dos grandes eventos do primeiro semestre na capital paulista”, orgulha-se o diretor Douglas Rodrigues, da Companhia Arte & Fato.

“É bom ressaltar que não vamos como convidados. Temos um contrato profissional para apresentar lá. Eles querem realmente conhecer esse trabalho”, acrescenta Rodrigues.

Para ele, a importância do trabalho consiste principalmente no resgate histórico de um evento tão importante quanto pouco conhecido de um período obscuro do País.

“Unimos informação, história, geografia, questões sócio-culturais e políticas que desencadearam no genocídio de milhares de índios waimiri-atroari. É uma história real, muito nossa, mas que também resgata a composição histórica do Brasil das décadas de 50 e 60”, explica.

Reapresentação no AM

Antes disso, porém o público amazonense que não teve a chance de assistir a primeira montagem do espetáculo em Manaus, em 2013, terá a oportunidade de fazê-lo no próximo dia 31 de janeiro, no Mirante da Cidade, em Itacoatiara, e no em 4  de fevereiro, no Teatro Amazonas, em Manaus. Depois da encenação em São Paulo, a peça volta ao estado e será apresentada em “zonas de pouco acesso à cultura”, como a escola GM3 do Coroado.

Além de Douglas Rodrigues na direção geral, nomes como o do produtor Daniel Bayma, responsável peo Auto de Natal de Manaus, dão ainda mais credibilidade à obra já consagrada.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.